Aviso!

ATUALIZAÇÃO em: 04/08/20

Oi, gente, o servidor atualizou e, com ele, algumas postagens tiveram trechos que tomaram um chá de sumiço. Estou tendo de atualizar tudo, então se virem alguma coisa, podem comentar (usando uma conta Google) nos comentários dos posts, okay - que assim, sou notificada (porque quando comentam pelo face, não aparecem para mim, infelizmente). Ah! Algumas imagens também tomaram chá de sumiço e outras postagens perderam a formatação. Mas, com o tempo, tudo se ajeita, né...
Desculpem o transtorno!

segunda-feira, 30 de dezembro de 2019

ESPECIAL | A superação do Kim Woo Bin

Eu não saberia lidar com o fato de não falar sobre o Kim Woo Bin, por aqui. Primeiro, porque o acho um excelente ator, sendo ele uma participação especial (To the beautiful you) - dorama com o Choi MinHo do SHINee. - Ou protagonista secundário (The Heirs). Ou, ainda, personagem principal (Uncontrollably Fond). Segundo que ele, finalmente, venceu e superou a mais difícil batalha de sua vida: a luta contra o câncer. Que, no caso dele, era raríssimo, o que o torna, duplamente, um vencedor! E, por último, pela pessoa incrível e guerreira que ele é.  E que comece a primeira parte do:

Especial destinado ao Kim Woo Bin. *-*


segunda-feira, 16 de dezembro de 2019

KMOVIE | Battle of Jangsari

Battle of Jangsari é um Kmovie (filme coreano) que narra uma parte real da história da Guerra das Coreias que, por algumas décadas, esteve em segredo de segurança. Não é novidade que o SHINee esteja em hiatus por conta dos membros que estão servindo o exército sul coreano. Choi MinHo, pouco antes de se alistar em 15 de Abril de 2019, esteve gravando o filme Batlle of Jangsari. - Curiosa ou coincidentemente, Minho se ofereceu para servir a Marinha e ficará no exército coreano até 14 de Novembro de 2020. - E é justamente sobre este filme, lançado teatralmente na Coreia do Sul em 25 de Setembro e nos EUA em 4 de Outubro, pela Well Go USA., do qual Minho foi um dos personagens principais, que vou falar, hoje.



Battle of Jangsari é o segundo filme de uma trilogia, contando como primeiro, Operation Chromite, lançado em 27 de Julho de 2016, que embora apresente uma versão fictícia da histórica operação de inteligência militar da CIA / EUA, é baseado em fatos reais de antes da operação de pouso. O segundo filme irá contar a comovente e corajosa operação de pouso na praia de Jangsari.

Origem: Kmovie
Gênero: Guerra / Ação
Direção: Kwak Kyung-taek
Produção: Taewon Entertainment 
Distribuição: Warner Bros
Duração: 103 minutos
Exibição: 2019

  • Sinopse: Para quem gosta de filme de guerra, este é um prato cheio. Baseado em fatos reais, Battle of Jangsari conta a história de um grupo de 772 estudantes soldados, treinados por apenas duas semanas, e com idade média de 17 anos (no cálculo coreano) que realizaram uma importante operação de desvio na praia de Jangsari, na vila de Yeongdeok, para atrair a atenção norte-coreana de Incheon, durante a Guerra das Coréias, em 1950. Eles arriscaram suas vidas para ajudar a garantir o sucesso da posterior Batalha de Incheon.

sexta-feira, 29 de novembro de 2019

SHINee | Shiny Fundation e o apelo dos shawols sobre a conta do JongHyun no Twitter.

Do apelo dos shawols ao agradecimento inesperado que nos encheu de lágrimas nos olhos!

Eu não me canso de falar de que faço parte de um dos fandoms mais maravilhosos da Era KPOP. Em Dezembro de 2017, o SHINee World sofreu uma enorme e imensurável perda com a morte do Jonghyun e isso abalou o kpop numa escala indescritível. O SHINee é um dos grupos mais famosos da indústria e, na época, se preparava para comemorar 10 anos de carreira. Para falar a verdade, aprendi muito com os meninos e com o fandom sobre "como superar uma perda". - Eu explico aqui e um pouco, neste link, também.

Memórias


Quando a NASA noticiou que levariam uma playlist para a Lua, os shawols se mobilizaram para fazer com que fossem acrescentadas nela as músicas "Selene 6.23" e "Moon". Ambas as músicas foram escritas pelo Jonghyun: a primeira para o álbum do SHINee, The Misconceptions of You, e a segunda para o seu álbum solo, She Is.

segunda-feira, 21 de outubro de 2019

SuperM | Do debut ao topo das paradas na Billboard 200: o trajeto percorrido e os obstáculos no caminho.

Desde seu anúncio oficial, o SuperM vem enfrentando grandes batalhas na Indústria Musical. Como falei neste artigo, o SuperM foi criado a pedidos da Capitol Records, a partir de 4 (quatro) grandes outros grupos da SM Entertainment, tendo em sua formação o Taemin do SHINee, o Kai e o Baekhyun do EXO (este, escolhido como o líder do SuperM), o Mark e o Taeyong do NCT e o Lucas e o Ten do WayV.


Muitas dúvidas surgiram e preocuparam os fandoms destes grupos. Eles se questionavam se os grupos originais seriam prejudicados com a formação deste super-grupo.
No artigo em que falei do SuperM, deixei claro que esta era uma preocupação infundada, uma vez que já havia sido esclarecido que os grupos originais teriam preferência sobre este e que, muito embora fosse, de fato, um novo grupo, as promoções ocorreriam, principalmente, no mercado fonográfico dos EUA e, em segundo plano, na Coreia do Sul, sem atrapalhar as promoções dos grupos originais.


Mesmo parecendo óbvio que a intenção desta parceria entre a Capitol Records e a SM fosse fazer do SuperM, uma "Super Unit", alguns fãs não aceitaram muito bem a ideia e pediram o 'disband' do grupo (o fim definitivo) logo após o seu anúncio oficial.
As empresas tentaram controlar a repercussão negativa lançando lives dos membros do SuperM, no Instagram, onde eles claramente pediam apoio aos fãs e mostravam a química já existente entre eles. - Aliás, devo agradecer às empresas, que fizeram o Taemin gostar da coisa e não só fazer um instagram, coisa que nós, shawols, esperávamos há 11 anos, como também fazer um monte de lives depois disso, embora ainda precise aprender a salvá-las rsrs. - Para alguns fandoms, isso foi suficiente para acalmar a ansiedade e a preocupação. Para outros, nem tanto.
Muitos fãs, ainda, preferem entrar em discussões com a SM, acerca do grupo original, exigindo maior investimento, sem aparentemente entenderem que quem está investindo pesado no SuperM é a Capitol Records, e outros, pior ainda, preferem as brigas entre si sobre "quem está promovendo quem", numa disputa de egos - que nem vale a pena enaltecer por aqui - esquecendo-se que todos começaram do zero e foram trainees na mesma empresa, e que também receberam ajuda, de uma ou outra forma, dos grupos já consolidados na indústria musical coreana quando debutaram.


De todo modo, toda a repercussão negativa não foi o suficiente para acabar com o SuperM, antes mesmo dele começar. Em 4 de Outubro de 2019, nos EUA, o SuperM oficialmente debutou (estreiou, na linguagem do Kpop) e abriu o seu caminho para o mercado Ocidental e para os outros grupos que o compõe.
Como eu disse, acima, ao aceitar a parceria com a Capitol Records, o Lee SooMan (co-fundador e presidente da SM) fez uma jogada de mestre: Ele não só alcançou o objetivo do SuperM, como um super-grupo que se lançou como "os vingadores do kpop", como promoveu os grupos envolvidos em sua criação, através desta "super-Unit". 
Para entenderem o que eu quero dizer, vou explicar três importantes pontos: O que são Units, o conceito de "Avengers of the Kpop" e a "Sinergia Diferente do Grupo" prometida pelos parceiros 'Capitol Records' e 'SM Entertainment'. 

domingo, 1 de setembro de 2019

ESPECIAL | Permita-se apreciar, se envolver e sentir.

Todo dorama, assim como toda música, toda vivência, toda experiência amorosa, cada escolha, cada queda, enfim, como tudo na vida, tem a sua essência, o seu aprendizado, ou aquela coisa que toca o coração. Eu não estou falando de sentimentos, ainda, mas de alguma lição, algum aprendizado, alguma reflexão. Nada em nossas vidas acontece por acaso! E partindo por esse princípio, resolvi escrever sobre isso, por aqui. 

Paisagem: Descendants of The Sun
Muitas pessoas se precipitam perguntando se tal dorama termina bem, se tal dorama tem um final feliz, e se esquecem de aproveitar o percurso, o enredo, os personagens. Oras, nem todo filme de romance será como Uma Linda Mulher, ele também pode ser como Diário de Uma Paixão e não decepcionar. Ou mesmo como Titanic, cheio de altos e baixos onde o casal principal é só um mero detalhe. Pergunto: "quem é que decidiu que para ser um filme bom, ele tem que terminar feliz?" O que é felicidade? Viver a vida intensamente, ao lado da esposa a quem ama, "na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, até que a morte os separem", ou um final onde um homem com medo de altura vem numa limusine branca, resgatar a donzela de sua própria casa no quarto andar, vencendo o preconceito dela ter atuado em boa parte da sua vida, vendendo o próprio corpo? Não estou diminuindo os enredos, apenas mostrando que "um final feliz" é relativo. Por isso, ao ler um comentário da minha amiga Gisele, me inspirei em fazer este post. O comentário dela refere-se principalmente aos doramas, mas parafraseando-a podemos englobar todas as obras de arte, assim:

domingo, 25 de agosto de 2019

KDRAMA | The Heirs

The Heirs é aquele tipo de dorama que te prende do início ao fim. Claro, se você não for aquele tipo de pessoa que droppa uma história toda, por conta de uma cena que, talvez, você faria diferente. - Mas, como não somos roteiristas, sigamos. - É o tipo de dorama que te traz um enredo não muito inovador, mas ao mesmo tempo, peculiar. Um dorama onde você se comove com a atuação do Lee Min Ho e Park Shin Hye, que não podemos negar, são um espetáculo, mesmo que, às vezes, dê um desespero olhar para os beijos que rolam (n)daquele monumento coreano que é dono da Hallyu todinha e que está, simplesmente, fantástico! - E, sim, falo do Lee Min Ho assim, porque falar mal dela é clichê pra caraio! - Um dorama em que você se apaixona pelo casal principal, pelo processo de amadurecimento de alguns personagens, pelo Kim Woo Bin... de novo... e mais uma vez... e repetidas vezes... E por assim vai... Mesmo ele sendo um belo (belo mesmo) dum idiota (já disse belo?) mimado.
Por que digo tudo isso? Porque, a princípio, você acha que a história vai rodar apenas em torno dos protagonistas, e quando você percebe, você já falhou miseravelmente. - E esse, é mais um dos motivos dos quais eu me apropriarei para indicar esse Kdrama. 



O drama já tem 6 anos e, muito embora não seja nenhuma novidade no mundo dorameiro (do qual faço parte e por isso, espero deitada, para não cansar muito, uma segunda temporada que eu sei que é improvável ter, mas não custa sonhar), é um dos que faço questão de resenhar, mesmo com muito medo de me alongar. Então, sem mais delongas...

Gênero: Drama / Romance Adolescente / Colegial
Episódios: 20
Exibição: 2013

  • Sinopse: Kim Tan (Lee Min-ho) é um herdeiro bonito e rico de um grande conglomerado coreano que é enviado para estudar nos Estados Unidos, como forma de exílio, a pedido de seu irmão mais velho, Kim Won (Choi Jin-hyuk) que planeja tudo para assumir os negócios da família. Enquanto isso, nos Estados Unidos, Kim Tan esbarra em Cha Eun-Sang (Park Shin-hye), que chegou da Coreia do Sul em busca de sua irmã mais velha. Lentamente, ele se apaixona por ela, sem saber que ela é a filha da empregada da família, que por sua vez é muda. Quando a noiva de Kim Tan, Rachel Yoo (Kim Ji-won), chega para trazê-lo de volta para a Coreia, o seu coração fica dividido entre o amor e o dever. Enquanto isso, Rachel e seu futuro meio-irmão e ex-melhor amigo de Kim Tan, Choi Young-do (Kim Woo-bin) vão para a mesma escola que Kim Tan e Eun-Sang, e Young Do começa a gostar de Cha Eun-Sang. Problemas surgem quando os herdeiros percebem as diferenças entre o dinheiro e o mundo real.

sábado, 10 de agosto de 2019

SuperM | Taemin foi anunciado como membro do novo grupo da SM em parceria com a Capitol Records Music

Desde o dia 2 de agosto de 2019, vários portais afirmaram que a empresa SM Entertainment, estaria planejando lançar um grupo composto por membros de outros grupos da própria empresa. Realizado pela parceria entre a SM e a Capitol Music Group, no dia 7 de Agosto de 2019, o novo grupo, SuperM, foi anunciado como The Avengers Of K-Pop. Embora as escolhas do nome e da chamada não tenham tido uma boa recepção, a ideia é inovadora. O que, talvez, poucos saibam é que "Super" refere-se à "impressionante sinergia colaborativa dos artistas talentosos envolvidos", enquanto "M" significa "matriz" e "mestre".


O "SuperM" foi vendido como um "Super Grupo", diferente dos demais, que não substitui os originais, mas não é como qualquer Unit (subgrupo promocional do principal). Para quem não está entendendo nada, vamos por partes.

quinta-feira, 8 de agosto de 2019

CULTURA ASIÁTICA | Notícia: Kocowa chega ao Brasil, em parceria com o Viki, abrindo o mercado de streaming sul-coreano.



Quem acompanha nossas resenhas e notícias de Doramas, deve ficar feliz com esta novidade! É que, desde que o Viki anunciou a parceria com o Kocowa, muitas pessoas estavam se perguntando de que tipo ela seria, uma vez que as legendas proporcionadas pela plataforma, integrada ao Viki, traziam os doramas, filmes e programas de variedades com legendas apenas em inglês.


Se você é novo neste universo, então, vem que eu te explico tudo em detalhes!

sábado, 27 de julho de 2019

JDRAMA | Good Morning Call

Sempre tem um dorama que se a gente não falar dele, não nos sentimos completos. Muito antes de falar em Goblin - que será um dos próximos que resenharei - senti que precisava falar de Good Morning Call para tentar dar fim ao hate que rola em cima dele e, quem sabe, trazer uma nova perspectiva a quem insiste em olhar o protagonista com maus olhos. Desta vez, não vou dizer que gostar dele é uma questão subjetiva - porque gosto é igual cu e cada um tem o seu. - Não! Hoje, vou arriscar dizer que é preciso examiná-lo, primeiro. É preciso se despir de estereótipos, se colocar no lugar dele, não do da mocinha, se aprofundar na personalidade dele e na época em que foi escrita a história. Só assim serão capazes de me entender! E, antes de concordar ou não comigo, é importante, pelo menos, acompanhar o raciocínio... Os desafio a analisarmos Good Morning Call juntos!



Empatia não é se colocar no lugar do outro com a nossa cabeça e a nossa visão de mundo. Empatia é, na verdade, a capacidade de colocar no lugar do outro com a cabeça do outro. Com essa resenha, vamos mergulhar na personalidade do Uehara e, só quando a definirmos por completo, nos focaremos na personalidade da Nao. Assim, ficará fácil entender a minha posição perante este dorama e o relacionamento deles. 
Primeiramente, é preciso tirar da nossa cabeça que todo personagem masculino que ousar ser o protagonista, tem que ser perfeito, porque não tem. Particularmente, eu até prefiro quando não são. Afinal, tudo o que é perfeito demais, você desconfia, porque sabe que não existe. Caras como o Uehara existem aos montes, mesmo que você não tenha tido nenhum tipo de experiência em sua vida amorosa com o tipo dele. Mas, antes de nos aventurarmos a mergulharmos em suas personalidades e temperamentos, vamos à sinopse:

Gênero: Comédia Romântica Adolescente
Episódios: 17 / 10
Exibição: 2016 / 2017
  • Sinopse: A adolescente Nao Yoshikawa mudou-se para seu próprio apartamento 305 na cidade, quando seus pais voltaram ao país para administrar a fazenda da família. No entanto, ela logo descobre que Hisashi Uehara, um colega de boa aparência, também está se mudando. Percebendo que eles foram enganados em alugar o mesmo apartamento, eles concordam em se tornar companheiros de quarto, a fim de fazer o pagamento do aluguel. A história segue suas aventuras enquanto eles tentam manter sua coabitação em segredo de seus colegas, com Nao desenvolvendo sentimentos românticos por Hisashi quando ela o conhece melhor.

domingo, 21 de julho de 2019

ESPECIAL | Uma surpresa de aniversário ~EU ♥ DORAMAS~

Algumas pessoas acham que "estou curtindo minha fase adolescente, agora", outras que "pareço criança com esses gostos infantis". Muitas pessoas ainda viram a cara ou fazem comentários desnecessários a respeito deste meu gosto "asiático", outros partem para piadinhas que, ora passam do limite, ora até eu dou risada, mas sinceramente eu não ligo. Continuo curtindo, assistindo e preferindo dorama às novas séries americanas, e principalmente ouvindo SHINee, gastando com SHINee e sendo tiete de SHINee, porque quem paga minhas contas sou eu, talkey? 😅 Digo isso, porque vi uma necessidade de me enturmar com pessoas que tivessem os mesmos gostos que eu, porque é um saco ser um lobo solitário sempre! Pois bem, passei a entrar nos grupos de facebook e até reativei minha conta do twitter para me alimentar dessa atmosfera totalmente nova e fora do meu habitual, que não só preencheu alguns vazios, como me tirou de uma bolha de carga negativa e de uma gama de repetecos sem qualquer inovação. Além disso, conheci um mundo completamente novo para mim e pessoas que... bem, já fazem parte da minha vida e é sobre isso que vou falar hoje.

Há, exatamente, 1 ano, decidi que era hora de criar um grupo no Facebook chamado "EU DORAMAS", cujo objetivo era ser diferente de todos os outros que eu participava na mesma plataforma. Com todo respeito às pessoas que conheci no meio do caminho e àquelas que acabaram me indicando doramas maravilhosos que, ainda hoje, compõem minha lista de prediletos, haviam umas coisinhas que me incomodavam em todos eles: Os famosos hates e a ausência de medidas administrativas contra eles.


Quem me conhece, sabe: gosto das coisas certas, sinceras, sem hipocrisia, sem mimimi, direta, sem filtro, sem encheção de saco e sem imposição de opinião. Para mim, opinar vai muito além de dizer "é bom ou ruim", "recomendo ou é uma bosta". Tem que ter fundamento, senão sua opinião é simplesmente dispensável!
O que eu mais via nesses grupos eram pessoas que detonavam um dorama porque não gostavam do ator ou da atriz que o protagonizaram, ou porque se limitavam a criticá-lo, integralmente, por conta de uma mísera cena, sem muitas vezes se permitirem terminá-lo, não aceitando quaisquer evoluções de personagens ou desvios de conduta, chegando a xingar as pessoas que gostam de histórias de amadurecimento pessoal e/ou com cenas um pouco mais brutas, mas ainda que dentro do limite social e legalmente aceitável, de um beijo roubado ou pegada pelo braço ou cintura, entre outras cenas romantizadas desde as coleções de banca de jornal Bianca, Sabrina e Julia... E, quantas não foram as vezes em que me vi discutindo com essas pessoas, sendo xingada com vários adjetivos terminados por "ista", para saciar a elas o desejo-mor de "lacrar" nas tretas infantis? Perdi as contas.
Eu sou da opinião de que se a pessoa gosta de um determinado gênero de histórias, por mais que tenham outras que não gostem, o mínimo que se pode fazer é aceitar que todos somos diferentes e que se há sucesso, há público, então sua opinião negativa sobre algo devia ser guardada ou, se muito necessária, fundamentada, argumentava, justificada e com o máximo de educação e "tato" (sensibilidade) possível! Mas, infelizmente, não achava isso nesses grupos porque a moderação deles ou era ausente, ou compactuavam com a briguinhas cotidianas, afinal tretas atraem mais membros. Foi aí que cansei!
Criei o grupo EU ♥ DORAMAS para fugir desses lugares que prezam mais a quantidade do que a qualidade. Quis fugir da mesmice dos demais e jurei (para mim) que no meu, não toleraria hates. Para garantir isso, até fiz um tutorial que diferencia hate de opinião crítica negativa, para que ninguém viesse dizendo que não aceitamos opiniões contrárias. A prática de hate é parecida com a do bullying, é coisa de gente que se acha dona da razão, que quer impor opinião (geralmente com teor político-ideológico), mas que na verdade não tem capacidade argumentativa nem para falar do próprio umbigo, porque não sabem ver outra coisa que não o reflexo da própria alma. Se camuflam na repetição de discurso, porque só dão aquilo que têm. 
Achei que não ia conseguir chegar a 31 mil membros. Mas, a verdade é que acabamos de bater 32 mil. E, pelo visto, muitas pessoas também se cansaram dessas briguinhas bestas existentes, ainda, nestes grupos repletos de haters e migraram para o nosso. 
Em um ano, formei um grupo de moderadores e mediadores competentes, que pensam como eu e que me ajudam nessa empreitada, acertando mais do que errando, se estressando tanto quanto, rindo com algumas descascadas e pedindo ajuda em situações que carecem uma atenção maior. Vou dizer para vocês, eu sou orgulhosa do grupo de moderadores e mediadores ativos que criei. Passamos por alguns obstáculos, mas nos fortalecemos como família... Parafraseando algum desconhecido, "amadurecemos com o passar dos (d)anos"! Por conta do grupo que resolvi criar este site! ^^ 

E eis que entrei de férias... 

... com o perdão a todos os sensíveis a palavrões...

E o que esses putos fizeram? Uma surpresa de aniversário de 1 ano da EU ♥ DORAMAS. Sim, minha primeira experiência com "Surpresa" na VIDA!

quarta-feira, 26 de junho de 2019

THAIDRAMA | Tra Barb See Chompoo

Escolher resenhar Tra Barb See Chompoo como primeiro thaidrama da sessão, não sei se será a minha melhor escolha... Talvez, eu me arrependa. Ou, talvez, não. Isso porque eu não sei bem como definir o que achei deste Lakorn! - Se eu pudesse definir esse momento como 'um ponto de interrogação no meio da minha testa, brilhando de modo fosco e murcho', creio que seria a melhor representação da minha total falta de maturidade para isso. - Não é o primeiro Lakorn que assisto. Eu poderia fazer resenha de Kleun Cheewit que, mesmo passando raiva, eu amei! Mas, não, tô aqui me aventurando com este que continua uma incógnita pra mim. - Palmas!
Tra Barb See Chompoo foi hiper comentado durante sua primeira "aparição" no Brasil e divide opiniões. Pudera! É complicado defendê-lo, mas é compreensível quando alguém diz que gostou. Principalmente, se esse alguém é fã de lakorns que, geralmente, seguem a mesma pegada, mesma estrutura e essência, tirando aqueles voltados para um público mais adolescente, como os da U-Prince Series (com exceção do "The Handsome Cowboy"). Eu poderia ter iniciado a sessão com Full House Thai e Kiss Me com o Mike Angelo... Estou inconformada de que minha inspiração tenha vindo com Tra Barb See Chompoo. Sério, mesmo!
Eu mesma não sabia se torcia para felicidade da prota e do 'pai comunitário' ou se desejava que corvos e abutres devorassem o que restou depois de um trator passar por cima das bolas do prota e do 'junior' arrancado por um pitbull. - Sem exagero, okay!? - A verdade é que, engoli algumas cenas desagradáveis, xinguei pra cacete, e no final da história, me deparei com situações (que não me convenceram totalmente) que ficaram sem resposta (ou eu devo ter perdido alguma coisa) e  cujas quais outras situações (in)felizmente - porque, lembra? Não sei como definir o que achei e prefiro que você tire suas conclusões, assistindo. -  fizeram algum sentido no fim das contas, trazendo um desfecho até que satisfatório para alguns personagens, para outros nem tanto, mas pro casal terciário, perfeito!


Vou considerar esta resenha um desafio para mim: Se eu conseguir fugir das expressões "ranço", "embuste", "relacionamento tóxico" e "abusivo", zerei na vida. Quem me conhece, sabe que se tem uma coisa que me dá repulsa são essas quatro expressões. Digo porque, nem todas as ações podem ser generalizadas a isso, mas, atualmente, elas são usadas para qualquer história que alguém não gostou do protagonista porque ele não é perfeito como "deveria ser". E quem definiu isso? - Você não sabe? Nem eu. Mas, um monte de cagador de regra acha que pode definir o máximo aceitável. - Por este motivo, vou tentar me focar na história e na personalidade dos personagens principais (que é o que eu sei e estou acostumada a fazer) e vamos ver no que dá! Caso contrário, eu não usaria a empatia, aqui, mas a alteridade, o que traria uma resenha um tanto egoísta, uma vez que não faria jus à história e aos personagens em si, mas às minhas impressões, e mais nada. - E não é isso que eu me proponho a fazer por aqui. - Então, antes que eu desista, bora pra sinopse:

Gênero: Romance / Drama
Episódios: 24
Exibição: 2018
  • Sinopse: Kiew é uma sonhadora que costumava ver a vida de uma forma positiva, até que seu mundo cor-de-rosa muda quando sua mãe, doente, se casa com um antigo amor, e ela passa a morar na mesma casa que Peat, o filho de seu padastro. Peat, que esconde sua frieza cruel sob sua boa aparência, é o único herdeiro de um bilionário. Quando Kiew entra em sua vida, ele não pode esconder seu interesse por essa menina gentil e atrevida. Porém, ao vê-la em sua casa, seu mundo vira de cabeça para baixo, e ele se recusa a aceitar o novo casamento do seu pai, prometendo fazer de tudo para que a vida de Kiew e da mãe dela sejam um inferno. Para se vingar de mágoas antigas que ele possui com o pai, Peat irá passar por cima de tudo e de todos. Com ressentimento em seu coração, ele decide virar as costas para sua família. Após quatro anos, ele retorna para levar tudo de volta, e Kiew será a primeira pessoa contra quem se vingar, pois é o elo que atinge seu pai, em defesa de sua mãe. Ele será capaz de perder o amor de sua vida em nome da vingança?  

segunda-feira, 24 de junho de 2019

KEY | Face: Primeiro álbum solo (E como reconhecer a nós mesmos)

Eu, simplesmente, AMEI essa review! Cada linha, cada palavra escolhida, cada detalhe esmiuçado para falar com tanto carinho sobre o Key... É exatamente o tipo de review que eu gostaria de ter feito e não consegui. Rascunhei, rascunhei e rascunhei, e nunca ficava satisfeita! Fiz uma pequena (e bem rala) contribuição no texto, mas a essência é toda dela!
Tô lisonjeada que essa obra tenha se inspirado em algo que eu tenha feito! Quando me disse que "Me inspirei no seu", se referindo ao meu texto na Review de "The Story of Light ~Epilogue", meu coração se aqueceu, e eu chorei... Verdadeiramente tocada por isso!
Sem querer parecer piegas, mas isso me fez sentir importante, especial, única de uma forma diferente... justamente por admirarem tanto algo que fiz, a ponto de servir de inspiração a alguém, ainda mais quando essa inspiração resulta num trabalho tão lindo como esse! É uma sensação única! E digo mais: É lisonjeio porque não é um elogio pelo que sou de fora pra dentro, mas pelo que sou de dentro pra fora. É lisonjeio porque, acompanhando o SHINee, eu pude sentir o que eles sentiam, e senti junto com eles por ser shawol. Foram eles quem me inspiraram a desenvolver aquela Review, eles quem me ensinaram a superar as dores e a botar tudo numa caixinha de inspiração, somar com meus sentimentos e pensamentos, e jogar pro mundo... em forma de escrita. - Coisa que eu não conseguia fazer há muito tempo!
E, em pensar que essa minha review se conectou aos seus sentimentos e sensações com o álbum do Key, e juntos com a sua habilidade de escolher tão bem as palavras, criou isso... Nossa! Nem sei como explicar o quanto eu tô emocionada, o quanto tô soft, impactada e com aquela vontade de ouvir Key até não aguentar mais (o que é impossível, porque quem ama SHINee, ama cada membro do grupo, ama cada conquista e vitória deles. Ama o simples fato de ter nascido na mesma época em que eles! "Não aguentar mais" não faz parte do nosso vocabulário, porque o SHINee preenche todos as páginas!)
Você é uma fofa! E conseguiu passar, o que nem mesmo eu consegui, com maestria e numa puta perfeição! - (Mesmo não se dizendo, sequer, shawol. - Coisa que discordo!) - E, por concordar com todo o resto - absolutamente todo ele - e OBRIGADA POR PERMITIR COMPARTILHAR ESTA REVIEW POR AQUI - eis, com os devidos créditos:

~Review de autoria de Luísa Britto~

Hoje, eu gostaria de fazer uma análise e trazer alguns motivos porque você deveria, agora mesmo, escutar a FACE, o primeiro álbum solo do cantor sul-coreano KEY (do grupo kpop SHINee).
  • Disclaimer: Este texto é uma tentativa de passar em palavras o que essa obra, no caso álbum, afetou minha vida, e como ela pode afetar a sua. Já adianto que não possuo referências literárias para falar de música, nem sou antiga ou expert nesse mundo de kpop, porém, falo com o coração de quem curte música mesmo, de quem não tem medo de ser puxa-saco, ter 60 anos e admirar sucessos teens de 18 anos - o importante é a validade da música. Resumindo, esse texto é para eternos amadores de músicas, os quais escutam a mesma playlist como se fosse a primeira vez, não tem medo rótulos e estão sempre dispostos a entrar em novos meios musicais.

domingo, 23 de junho de 2019

KDRAMA | I'm not a Robot

Olá, dorameiros de plantão, sedentos por mais uma indicação! Quem teve sua iniciação no mundo doramático no final de 2017, talvez já tenha se aventurado em I'm not a Robot porque essa história foi muito - mas, muito mesmo! Ao ponto de eu esperar todo mundo ver, para então eu iniciá-lo, para fugir e esquecer dos spoilers que rolavam! - comentada durante sua exibição, durante quase todo o começo de 2018!


E, contudo, preciso dizer que quando o pessoal quer contar spoiler sobre um dorama empolgante, não está nem aí para fotos, vídeos, memes de conversas reveladoras ou conteúdo do clímax e desfecho, nem mesmo às regras do grupo que participam cujos quais exigem sinalização. O pessoal sai distribuindo spoiler como quem entrega panfleto na rua, sem quaisquer preocupações, e às vezes, dois por vez. - Alô, EU DORAMAStamo junto!Felizmente, meu grupo nem existia na época, então não posso culpá-lo. Hoje, embora existam (com bem menos frequência que nos outros) spoilers diversos, pelo menos lá, meu grupo de moderação é bem ativo e trava muitos spoilers nos comentários e tópicos... Orgulhinho, aqui! Pra vocês, oh: S2 coreano !!!
O fato é que, como conheço algumas pessoas que jogaram essa história lá pro fim da lista gigantesca - que eu ajudei a criar, é verdade - vim aqui - de cara lavada, mas com medo de apanhar - tentar fazer com que a joguem, não necessariamente para o topo, mas o mais perto possível dos "talvez eu comece esse, quando eu acabar este aqui". Já seria mais justo com o drama! Então, sem mais delongas, vamos ao que interessa!


Gênero: Romance / Fantasia / Suspense
Episódios: 32
Exibição: 2017 / 2018


  • Sinopse: Kim Min-Kyu (Yoo Seung-ho) é herdeiro de uma empresa de sucesso ligada a investimentos tecnológicos, mas vive uma vida isolada devido a uma alergia severa a outras pessoas e a perda de seus pais em um acidente de carro. Ele desenvolve erupções extremas que se espalham rapidamente por todo o seu corpo, uma vez que ele faz qualquer tipo de contato com a pele de outra pessoa. Jo Ji-ah (Chae Soo-bin) é uma mulher que tenta fazer com que suas invenções sejam reconhecidas, pois quer seguir os passos de seu pai. A vida dos dois se cruzam quando Ji Ah é convencida pela equipe do seu ex-namorado, inventor da robótica de Aji-3, a se fingir de robô para ser treinada pelo Min-Kyu. 

sexta-feira, 21 de junho de 2019

SHINee | Projeto shawol pretende mandar Selene 6.23 (SHINee) e Moon (JongHyun) para a Lua

E se eu te dissesse que podemos fazer com que o SHINee e o JongHyun sejam eternizados na Lua? 💎 


Bem, antes de mais nada, quem não conhece o SHINee precisa saber uma coisa muito importante: Este é o desejo e sonho de bastante significado para boa parte do fandom Shawol. Desde quando o JongHyun virou anjinho, nos referimos a ele, sempre olhando para o céu, apreciando as estrelas e, sobretudo, a lua.

sexta-feira, 24 de maio de 2019

ESPECIAL | SHINee: Direto do Túnel do Tempo

Antes de iniciar a leitura deste Especial, há algumas coisinhas que você precisa saber. Eu o escrevi pouco antes do SHINee completar 11 anos, mais precisamente na véspera. Retomei com o SHINee Special Party: The Shining e seguirei atualizando conforme forem lançando álbum. Talvez, por conta disso, haja alguns 'lapsos temporais' (link do post, gifs, texto, etc), mas desconsiderem toda e qualquer inquietação e pensem no conteúdo como forma de recordar e prestigiar o legado do SHINee, okay? Espero, de coração, que este Especial seja o suficiente para deixar todos os corações shawols bem quentinhos!



~~~ ♥ ~~~

Welcome to the SHINEE!!!

~ HISTÓRIA | DISCOGRAFIA | CURIOSIDADES~


Okay. Eu sou Shawol.
Então, muito provavelmente, alguns comentários pessoais vão surgir no decorrer do texto. Mas, de certa forma, acho que um texto vindo de "shawol para shawol" é sempre mais bem-vindo, tanto para quem tem tempo no Fandim, quanto para quem quer conhecer o SHINee. Aqui, o espaço é para todo mundo!
Não minto, nem exagero, em dizer que, muitas vezes, o SHINee me salvou e me deu forças quando eu mais precisei. Agora, imaginem eu falando do SHINee, num dia como o de hoje, na véspera do aniversário deles de 11 anos de uma carreira consolidada, de sucesso e com tanta história para contar: objetividade se torna uma missão impossível.
Resolvi, por este motivo, fazer uma retrospectiva de todos os Álbuns do SHINee, de maneira cronológica, contando algumas curiosidades no meio do caminho e considerando a discografia coreana e japonesa.
Um dia, sabe-se lá quando, eu termino a discografia do Jonghyun, me aventure na do Taemin e me adentro na do Key e Onew e posto aqui. Sem esquecer do Minho, que antes de se alistar, deixou bem claro que "não deu tempo de entregar um álbum", por isso, recebemos "só um debutzinho solo de Station", maravilhoso, como o I'm Home e que promete muitas "baladinhas" pela frente. - Oremos!


Neste Blog, tenho o costume de escrever para quem "está chegando agora" e não conhece o objeto-tema do post, então, não estranhem.

domingo, 19 de maio de 2019

KDRAMA | He is Psychometric

A resenha da vez é sobre o Kdrama He is Psychometric. Escolhi ele, hoje, porque me encantou e me deixou em choque, presa na história do início ao fim. Tive certa resistência para iniciá-lo, na verdade e, sinceramente, não sei bem explicar porquê. A sinopse é atraente, o romance é adolescente (e eu gosto), a temática é bem interessante... Talvez, minha vibe era mais romantiquinha na época. O fato é que se arrependimento matasse, eu já estaria no limboDito isso, eu realmente preciso contar um pouco da minha experiência com  He is Psychometric com vocês e farei de tudo para não deixar nenhum spoiler passar. Bora à Sinopse!


Gênero: Suspense / Romance 
Episódios: 16
Exibição: 2019

  • Sinopse: Lee Ahn (Jinyoung) é um garoto que tem um incrível poder de sentir os segredos de outras pessoas com apenas um simples toque. Yoon Jae In (Shin Ye Eun) é uma garota capaz de qualquer coisa para esconder um segredo traumático. O que acontecerá quando os mundos deles colidirem? Um suspense romântico sobre como esses dois adolescentes amam, curam e apoiam um ao outro em meio a grandes e pequenos acontecimentos.

sexta-feira, 10 de maio de 2019

TWDRAMA | Love, Now

Annyeong, dorameiros! A resenha, desta vez, é de um drama Taiwanês que subiu para o meu ranking dos tops+, super merecidamente. Digo, sem medo de parecer piegas, que é um dos melhores doramas que já vi. - Calma que eu já conto o porquê. - Antes, é bom avisar que é preciso ter coragem. E é preciso coragem porque é um dorama bem longo e que mexe com todos os seus sentimentos. E, vale dizer, na minha lista de "próximos doramas" ele ficou um bom tempo em 1º lugar, enquanto assistia vários abaixo dele. Mal sabia eu que se tornaria um xodó... O fato é que namorei começar esse dorama há um bom tempo (pelo menos uns 8 meses), mas olhava o número de episódios e ficava com medo dele se perder na monotonia e enrolação que a grande maioria dos doramas muito longos acabam caindo... Feliz e memoravelmente, não foi o caso deste aqui.



Gênero: Comédia Romântica
Episódios: 72
Exibição: 2012 / 2013
  • Sinopse: Yang Yi Ru (Annie Chen) leva seu trabalho como publicitária muito a sério. Mas sua família e amigos acham que ela precisa de umas férias senão vai se esgotar. Eles armam um plano e antes de Yi Ru saber o que aconteceu, ela é diagnosticada falsamente com câncer terminal. Ela recebe a notícia de que tem apenas seis meses de vida e é mandada para umas férias onde decide viver intensamente. Enquanto tenta digerir sua sentença de morte, ela conhece Lan Shi De (George Hu), o diretor executivo de uma empresa de família, em uma viagem de negócios. Quando Yi Ru conta a Shi De sobre seu diagnóstico e que ela sempre quis casar e ter filhos antes de morrer, Shi De aceita se casar com ela. Sem o conhecimento de Yi Ru, Shi De já a tinha conhecido anos antes e era apaixonado por ela desde então. Será que o destino juntou os dois, ou a relação imposta deles tem um prazo?

terça-feira, 9 de abril de 2019

CDRAMA | Love O2O + Filme

A melhor maneira de começar a resenha de Love O2O é dizendo que se você conhece esse dorama e o nomeia de Love "ZERO VINTE", você está fazendo isso errado.


O termo correto é O2O (ó, mesmo) refere-se a um conceito chinês que significa "online to offline", que na prática empresarial nada mais é do que a oferta de produtos ou serviços que o consumidor usa no mundo físico, mas que são comprados pela internet, ou produtos digitais que acabam gerando certo valor ($) no mundo 'real'. Esse é um termo relativamente novo, mas que está crescendo rapidamente e, talvez, por isso, você tenha dito errado, alguma vez, ou ouvido alguém falar assim. - E, para falar a verdade, mesmo eu que já sabia disso me via falando 020. Não me corrigia porque além de ser a teimosia em pessoa, a sonoridade me caía (e ainda cai) melhor ao ouvido. Mas, uma vez explicado isso, vou me corrigir a partir de agora. Prometo! - Então, vamos para o que interessa, afinal é por isso que chegou até aqui.

Gênero: Comédia Romântica
Episódios: 30 
Exibição: 2016
  • Sinopse: Xiao Nai (Yang Yang) é um especialista em jogos que, pela habilidade no basquete, excelência acadêmica, talento na natação e por ser dono de uma empresa de jogos, é o aluno mais popular da Universidade de Qing. Quando ele cruza pela primeira vez com a beldade do departamento de Ciência da Computação, Bei Weiwei (Zheng Shuang), o jovem prodígio imediatamente se apaixona. O que mais chama a atenção dele é a destreza com a qual ela comanda a guilda dela num jogo online e a habilidade manual nos comandos durante o jogo, o que a torna inesquecível para ele. Agora, Xiao Nai deve usar as suas habilidades offline e online para capturar o coração de Weiwei, que não é só bela, mas nerd e de forte personalidade. Será que o amor deles tem XP suficiente para dar certo ou esse relacionamento nunca evoluirá?

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019

ONEW | VOICE: o primeiro álbum solo


Quase onze anos após estar à frente de um dos grupos de K-Pop mais famosos e respeitados da Coreia do Sul, os fãs de SHINee foram surpreendidos com a notícia de que o líder Onew lançaria seu primeiro álbum solo. 
Já tem um tempo, desde que me decidi fazer um review de VOICE, o primeiro álbum solo do Lee Jin Ki, ou como é mais conhecido, Onew, do SHINee. Curiosamente, acabei ganhando inspiração ouvindo um solo antigo dele, para o kdrama “To the Beautiful You”, inspirado em Hana Kimi (Hanazakari no kimitachi – mangá), onde seu amigo e companheiro do SHINee, Choi MinHo foi protagonista. 
Em um programa coreano (Last 48h), onde os convidados devem agir como se aquelas fossem suas últimas 48 horas, MinHo acabou confessando ao Onew que “In Your Eyes” também o inspirava, tanto quanto o tranquilizava e o dava forças para fazer o seu melhor. E, sinceramente falando, a voz do Onew tem essa capacidade de afetar o mais íntimo da gente. Voice seguiu a mesma linha para mim... 

sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

SHINee | The Story of Light (Epilogue) e a mensagem oculta em Countless


Hoje, eu decidi sair um pouco do mundo dos Doramas e falar de SHINee, um grupo de kpop extremamente popular, que está junto há mais de 10 anos e enfrenta a perda de um integrante, desde 18 de Dezembro de 2017.

SHINee | Onew (SHINee) lancará Voice, o tão esperado álbum solo.


Para alegria de todas os SHAWOLS (SHINee World: Nome dado a todos os fãs de SHINee espalhados pelo mundo), a SM Entertainment confirmou que o Onew (Lee Jin Ki) lançará seu primeiro álbum solo, no próximo mês! (Todas as músicas negritadas neste post, contém vídeos linkados). E eu fiquei como, quando descobri isso? Chorando e rindo, ao mesmo tempo, é claro, com o coração acelerado, parecendo uma ave com asas atrofiadas, tentando voar, sem acreditar e já fazendo planos de qual órgão do meu corpo eu venderia para conseguir comprar um álbum dele, direto dos estúdios da SM, em Seul, porque ser Shawol e não surtar com isso, É IMPOSSÍVEL! - Veja bem...

TWDRAMA | Pleasantly Suprised / Love myself or you

Annyeonghaseyo! Hoje, a resenha é de um Twdrama bonitinho chamado Pleasantly Surprised, ou também conhecido por Love Myself Or You, um jogo de palavras chinês que significa “eu gosto de ficar sozinho” e, ao mesmo tempo, “gosto de uma pessoa” ou ainda Love Meets Cupid. O dorama traz várias citações de One Piece mas a história, em si, nada tem a ver com o mangá. É que Du Kai Qi e Hao Wei são apenas viciados em One Piece, mas aqui, quem importa é o Louis, nome 'francês' de Fu Zi Jie. Calma, eu explico!



Gênero: Romance/Drama/Comédia
Episódios: 22
Exibição: 2014

  • Sinopse: Pode alguma coisa ser mais importante do que quadrinhos e boa comida? Du Kai Qi (Puff Guo) é uma mulher solteira e independente que adora One Piece e seu trabalho como chef no requintado restaurante francês Figaro Cuisine. Quando descobre que seu estagiário na cozinha, Fu Zi Jie (Jasper Liu), é seu vizinho de porta, eles imediatamente começam a brigar sobre assuntos triviais. Mas, o que nem Du Kai Qi, nem os outros chefs do restaurante sabem é que Zi Jie é um chef com formação clássica que acabou de voltar da França e que Figaro Cuisine é na verdade o restaurante do pai dele. É que Zi Jie foi convencido pelos seus pais de ficar, pelo menos, 1 mês em Taiwan com eles, sem saber que Zi Jie havia prometido ao irmão nunca mais voltar.


KDRAMA | Playfull Kiss

A resenha de hoje é polêmica (mas eu sou brasileira e não desisto nunca) porque Playfull Kiss faz parte daquele seleto número de doramas que uma parcela da população dorameira tende a odiar, ou por preferir outras versões de adaptações, ou por achar esta "machista demais", - particularmente, acho um certo exagero esta última definição, mas vou tentar explicar o meu ponto de vista acerca dos personagens e deixo para vocês tirarem suas conclusões - ou, ainda, por não ter visto o especial de Playfull Kiss onde o Seung Jo está verdadeiramente fofo, bem diferente dele no início do dorama. Mas, vamos com calma, já chego lá! - Bora para a sinopse!



Gênero: Romance/Drama
Episódios: 16
Exibição: 2010

  • Sinopse: Oh Ha Ni (Jung So Min) é apaixonada há 3 anos por Seung Jo (Kim Hyun Joong) desde o momento em que coloca os olhos nele no primeiro dia de aula. Ele é um pacote completo de garoto prodígio - popular, alto, atlético, bonito e todos os estudantes o invejam por obter a nota perfeita em todas as provas. Ela é o oposto. Filha de um herdeiro de um restaurante de família, Oh Hani não herdou o dom de cozinhar. É péssima em quase tudo o que faz, inclusive na escola, exceto em amar. Seu amor por Seung Jo é incondicional e até doentio, vide seu esforço energético para conseguir sua atenção, mas ele a considera apenas um incômodo e nada além disso. O destino, então, os coloca debaixo do mesmo teto quando um terremoto de baixa magnitude destrói apenas a casa da família de Oh Ha Ni. Ela e seu pai passam a viver temporariamente na casa do amigo de infância do pai dela, que por sinal é o pai de Seung Jo.

KDRAMA | Boys over flowers

Vamos de Boys Over Flowers, porque a resenha de hoje é um clássico!
Me perguntei várias vezes se eu devia fazer uma resenha de um dorama que não é novo, que já foi (e ainda é) febre e que a grande maioria do público já assistiu... mas, como escrevo para todos, até para quem nunca viu um doraminha na vida e também trago novidades, decidi que valeria a pena escrever essa... então, vamos lá!


Antes de mais nada - pausa dramática inspirada no Goo Joon Pyo - devo dizer que este foi o primeiro dorama que eu assisti - quando ainda estava disponível na Netflix - me fazendo mergulhar de cabeça no mundo dorameiro e na cultura asiática, exercendo com maestria seu papel de pioneiro. Por que digo isso? Porque logo depois dele, comecei a devorar todos os doramas que apareciam na lista de recomendações da Netflix e quando o repertório acabou (na busca pela mesma temática, porque ainda não assisti todos disponíveis na plataforma), tratei de assinar o DramaFever e, posteriormente, o Viki. Também porque me deparei com um modo diferente de contar uma história que não só me cativou, como me emocionou, me fez vibrar, sentir arrepios, chorar muito e odiar uma personagem como nenhuma outra. - Claro que, nesta época eu não tinha ideia que a megera indomada perderia fácil o lugar para a Choi, de The K2, mas isso é um mero detalhe. - A questão é que eu queria saber se todos os outros doramas teriam a mesma pegada. E não é que eles tinham? - (Com raríssimas exceções, claro!) - Vamos à sinopse de Boys Over Flowers!

Gênero: Romance/Drama
Episódios: 25
Exibição: 2009

Sinopse: Jan Di é uma garota comum, cuja família é dona de uma lavanderia a seco localizada perto da luxuosa e conhecida Escola de Ensino Médio Shin Hwa. Após impedir um menino de saltar do telhado da Escola Shin Hwa, Jan Di é admitida na escola como bolsista da equipe de natação. Na escola, Jan Di tenta evitar confrontos com os quatro garotos mais ricos e mimados da escola, conhecidos como os F4, pois sabe o que pode acontecer com aqueles que os enfrentam e recebem o cartão vermelho. No entanto, quando sua amiga Oh Min Ji acidentalmente deixa cair sorvete no sapato do líder dos F4, Goo Joon Pyo, Jan Di é forçada a declarar guerra contra ele. Mas o que acontece quando ela se apaixona por um dos integrantes dos F4 e Goo Joon Pyo começa a se apaixonar por ela, também? O triângulo amoroso vai separar os F4 e mudar suas vidas para sempre? Prepare-se para um viciante drama, romance e comédia em seu melhor estilo! - Viki 

KDRAMA | Hwayugi - Uma odisseia coreana

Annyeong, dorameiros natos, novatos, indecisos e resistentes... Hwanyeong haeyo para todos!
E, eis que, depois de vários spoilers que acompanhei - sem nem mesmo querer - me fiz obrigada a esquecer de alguns pontos-chaves e me permiti começar Hwayugi, Uma Odisseia Coreana. Demorou porque enquanto esteve no ar era praticamente impossível fugir dos spoilers e durante minha tentativa de esquecê-los - somados aos de I'm not a robot na mesma semana - me peguei assistindo Bromance e To the beautiful you até apaziguarem os comentários sobre o drama durante sua transmissão.


Hwayugi não é uma história com enredo novo, mas tem características únicas. Muitas pessoas costumam compará-lo a Goblin pelo clímax ser parecido, mas logo mais vou explicar por que essa comparação é descabida - até porque se quisermos doramas com uma temática diferente é melhor contarmos nos dedos e desistirmos de todos os outros que, praticamente, são repetecos uns dos outros. - Sempre achei importante assistir a história, não por ela em si, mas pelo conjunto: o modo de contá-la, a direção, os atores, a química entre todos e os detalhes da história, porque é no conjunto que teremos a real dimensão da temática, porém, ainda assim, são tantos detalhes parecidos que tirando pelo mundo fantasioso diferente, você se sente em um 'déjà vu'. Mas, vamos à sinopse!

Gênero: Fantasia, Romance
Episódios: 20
Exibição: 2017 / 2018
  • Sinopse: Jin Sun Mi (Oh Yeon Seo) é a CEO (diretora executiva) de uma imobiliária de sucesso e que tem a habilidade de exorcizar demônios de propriedades azaradas. Mas para os demônios que vivem na Terra, ela é conhecida como SamJang, aquela que possui um aroma irresistível de flor de lótus e que pode dar enormes poderes a qualquer um que devorá-la. Quando Sun Mi era criança, Son Oh Gong (Lee Seung Gi), uma divindade encrenqueira, fez com que ela o libertasse do castelo onde ele era mantido prisioneiro, fazendo um acordo, mas, no fim, ele a engana. Nos dias atuais, Song Oh Gong descobre que Seon-Mi é a SamJang, e no começo ele a protege dos ataques dos outros demônios para guardá-la para si mesmo, pois tem a intenção de devorá-la e se tornar o deus mais poderoso. Com a ajuda de Woo Ma Wang, Seon Mi encontra uma maneira de forçar Son Oh Gong a protegê-la: para isso, ela coloca um geumganggo (bracelete) no braço de Oh Gong. Por ser mágico, o bracelete controla as emoções de Oh Gong, que pelo seu uso, o faz se apaixonar por Seon-mi e protegê-la a todo custo. Quando ambos se apaixonam, Oh Gong descobre o destino cruel que traça seu relacionamento com a SamJang: ambos estão destinados a matarem um ao outro.

TWDRAMA | Murphys law of love

Annyeonghaseyo, dorameiros natos, novatos, indecisos e resistentes!
A Lei de Murphy do Amor, ou Murphy's Law of Love, é um dos doramas taiwaneses mais fofíssimos  que eu já assisti. A resenha de hoje, vai para essa história que me deixou absurdamente encantada e com aquela sensação de "Okay, terminou. E, agora, o que eu faço da vida?"


Não são todos os doramas que me deixam com aquele aperto no coração quando leio "The end" ou vejo as letrinhas subirem lentamente, mas esse... esse estraçalhou, abalou as estruturas do meu coraçãozinho! - E, desta vez, a culpa não é nem do Oppa... Vamos à sinopse!
Gênero: Romance
Episódios: 19
Exibição: 2015
Sinopse: A lei de Murphy afirma que "Quando algo pode dar errado, irá dar errado." Guan Xiao Tong (Ivelyn Lee) é uma psicóloga, especialista em namoros que possui o destino da felicidade de outras pessoas em suas próprias mãos, conhecida como "Doutora do Amor" da agência de namoros, capaz de entender como ninguém os problemas de relacionamento de qualquer pessoa e ajudá-los a superá-los. Isso, porque ela tem um passado marcado, há um ano, por uma decepção amorosa. Ao mesmo tempo, depois que He Zhi Yu (Wang Ping Si), uma bela modelo, deixa Ji Jia Wei (Danson Tang), ele está inconsolável e se torna arrogante - e descrente - sobre o amor, então, abre uma agência de divórcio que promove cerimônias de desquite. Num dado momento, com a criação de um evento de articulação de casamentos, Jia Wei e Xiao Tong reúnem-se, e os dois começam com o pé esquerdo, mas logo se deliciam em atormentar um ao outro. Enquanto isso, o filho de Mei Zhen, Xiang Zi Yan (Jolin Chien), conhece a Xiao Tong e começa a desenvolver sentimentos por ela. Xiao Tong atribui à Murphy a culpa por todas as coisas ruins que acontecem em sua vida, mas será ela capaz de amar incondicionalmente uma nova pessoa, vencendo as leis de Murphy?

KDRAMA | The K2


Annyeong, dorameiros natos, novatos, indecisos e resistentes... Hwanyeong haeyo! A resenha de hoje é nada mais, nada menos que The K2. Um dorama coreano que entrou no meu TOP 1e fez com que minha paixonite aguda pelo Lee Min Ho passasse e virasse amor platônico pelo Ji Chang Wook. - Se tem uma resenha que eu não podia deixar de fazer é essa. Por quê? Porque, simplesmente, de todos os doramas que vi, até agora - e já são mais de 100 - The K2 foi o que mais gostei. Simples, assim! A direção deste dorama usou aquele efeito que vemos em Matrix, Bullet time, em algumas cenas de ação e ao que parece foi o primeiro dorama a usar esse recurso, o que ganhou notoriedade. Não por menos, The K2 recebeu avaliações favoráveis, superando as classificações de audiência durante toda a sua transmissão. Além disso, a série é contada através do misto entre linha do tempo e flashbacks, que faz com que você descubra a história e monte o quebra-cabeça junto com o personagem Je Ha, o que é feito com excelência pois realmente te prende à ela.

“Eu não tinha nada que quisesse proteger antes, por isso não havia nada que eu pudesse perder. Mas, agora encontrei uma pessoa a quem quero proteger. Acho que... creio que posso ser feliz agora!”


Gênero: Romance, Ação
Episódios:16
Exibição: 2016
  • Sinopse:  Kim Je Ha (Ji Chang Wook) é um ex-agente do serviço secreto conhecido como "K2" que subitamente se torna um fugitivo quando é injustamente acusado de matar sua namorada enquanto servia no Iraque. Ele consegue voltar para a Coréia e se vê obrigado a servir como o guarda-costas de Choi Yoo Jin (Song Yoon Ah), a dona da JSS Security e esposa de Jang Se Joon (Jo Sung Ha), que está se candidatando a presidente. Je Ha usa seu novo trabalho para planejar sua vingança contra Park Kwan Soo (Kim Kap Soo), o líder do partido atualmente no poder, rival de Se Joon na candidatura à presidência e a quem Je Ha acredita ter mandado matar sua namorada. Quando Je Ha é designado para proteger Go An Na (Yoona) conhece a filha secreta e ilegítima de Se Joon. An-na, que foi reclusa e solitária durante toda a vida, começa a depender de Je-ha, que mostra preocupação por ela e a protege a todo custo. Eles lentamente se apaixonam um pelo outro. Mas o que acontece quando a pessoa que quer prejudicar An Na é ninguém menos do que Choi Yoo Jin, chefe de Je Ha e aliada na vingança dele contra Park Kwan Soo?

KDRAMA | Descendants of the Sun

Descendants of the Sun é um romance que aborda o relacionamento complicado entre um soldado das forças especiais e uma médica, num cenário de guerra com muitas cenas fofas, engraçadas e românticas. Confesso que eu protelei muito para começar a assistir Descendants of the Sun. Juro. Foram meses! - Desculpa, sociedade!
E, antes que algum shawol dê um murro na mesa, incrédulo por esta afirmação, é que nessa época, eu não era muito familiarizada com doramas, eu estava terminando de acompanhar outras séries americanas, e nem era tão engajada, envolvida, viciada e cega pelo SHINee, como atualmente, devorando tudo o que fazem e babando em vídeos de fogueiras e fotos de madeira e natureza, como um certo alguém posta... né, Lee Jin Ki?
Começou assim: minha irmã (a criatura a quem devem culpar pelo meu vício pela Cultura Asiática) me indicou esse kdrama e eu fiquei meio “baaaargh!”, porque as outras indicações dela não foram lá “aqueeeeelas indicações” (nossos gêneros diferem MUITO) e, confesso de novo, já estava prestes a julgar a série pela opinião dela, porque gente, as outras indicações foram bem mais ou menos (A panda e o Ouriço, por exemplo) e eu fiquei com medo de me decepcionar com algo envolvendo o Onew. - Burra, eu sei. Jinki nunca falharia comigo e nunca  me decepcionaria! 😈


Mas, um belo dia, ela me marcou numa postagem onde mostrava que os atores (protagonistas) se casaram na vida real e a carinha do Song Joong-ki olhando a Song Hye-kyo, fazendo carinho na mão dela, parecendo nervoso, e principalmente SORRINDO, meu Deus... que delicinha de casal! Tudo bem que o casamento não tenha durado muito, mas o fato é que a expectativa sobre se o casal iria ter tal química na história, também, foi grande. E, confesso mais uma vez, foi aí que me convenci que eu já havia demorado demais para começar... - Me julguem! Porque, hoje, até eu me julgo. Tanto por ter deixado o meu Onew me esperando, quanto por não ter dado um crédito a mais para a minha irmã, na única acertada indicação que me deu. Haha (Desculpa, mana!)

"Se você quiser fugir, certifique-se de me levar com você. Seria muito melhor se fugirmos juntos."

Gênero: Militar / Médico / Romance
Episódios: 16
Exibição: 2016
  • Sinopse: Yoo Shi Jin (Joong-ki Song) é o capitão das forças especiais coreana. Ele conhece a médica Kang Mo Yeon (Hye-kyo Song) quando Yoo e seu colega de trabalho acabam machucando um bandido. O capitão e a doutora logo se apaixonam, mas manter essa relação e lidar com seus respectivos trabalhos não é uma tarefa fácil. O casal acaba terminando o namoro, mas, oito meses depois, o destino reúne os dois novamente.

KDRAMA | Andante

Annyeong, dorameiros de plantão! Hwanyeong haeyo, novamente! Hoje eu trouxe uma resenha de um dorama coreano novo (2017), chamado Andante que me surpreendeu horrores e me fez desidratar litros.


“É necessário morrer para se tornar um adulto.”

Gênero: Romance, Colegial
Episódios: 16
Exibição: 2017

  • Sinopse: O enredo é sobre um garoto, Lee Shi Kyung, acostumado a viver na cidade, antissocial, viciado em games online e que, frequentemente, se dá mal na escola ou cabula aula para alimentar o seu vício, enganando sua própria mãe. Ele, sua irmã Lee Shi Young, sua mãe e tia acabam tendo que se mudar para o interior por situações alheias a sua vontade e vão morar na casa da avó (mãe do pai dos irmãos Lee Shi) que não os aceita de imediato. É na cidade do interior que Lee Shi Kyung conhece uma nova maneira de viver e um novo amor, Kim Bom.

DORAMAS | Apresentação e Curiosidades

Annyeonghaseyo!


Se você é um leitor assíduo de resenhas críticas de doramas, este espaço é para você. Aqui, na EU ♥ DORAMAS, vamos, de tempos em tempos, postar uma resenha crítica de algum dos doramas que assistimos, para você que curte lê-las antes, durante e depois de assisti-los, independente de o recomendarmos ou não. Tenho certeza que irá se identificar com este espaço! — Dorama? Mas o que é um dorama? — Você que não sabe, continue a leitura que já explicarei. Já você, que assim como eu, está no vício, trago algumas curiosidades e diferenças entre os doramas asiáticos de cada país onde são televisionados (os mais famosos, pelo menos).

Paginação numerada



Subir