Aviso!

ATUALIZAÇÃO em: 04/08/20

Oi, gente, o servidor atualizou e, com ele, algumas postagens tiveram trechos que tomaram um chá de sumiço. Estou tendo de atualizar tudo, então se virem alguma coisa, podem comentar (usando uma conta Google) nos comentários dos posts, okay - que assim, sou notificada (porque quando comentam pelo face, não aparecem para mim, infelizmente). Ah! Algumas imagens também tomaram chá de sumiço e outras postagens perderam a formatação. Mas, com o tempo, tudo se ajeita, né...
Desculpem o transtorno!

sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

KDRAMA | Descendants of the Sun

Descendants of the Sun é um romance que aborda o relacionamento complicado entre um soldado das forças especiais e uma médica, num cenário de guerra com muitas cenas fofas, engraçadas e românticas. Confesso que eu protelei muito para começar a assistir Descendants of the Sun. Juro. Foram meses! - Desculpa, sociedade!
E, antes que algum shawol dê um murro na mesa, incrédulo por esta afirmação, é que nessa época, eu não era muito familiarizada com doramas, eu estava terminando de acompanhar outras séries americanas, e nem era tão engajada, envolvida, viciada e cega pelo SHINee, como atualmente, devorando tudo o que fazem e babando em vídeos de fogueiras e fotos de madeira e natureza, como um certo alguém posta... né, Lee Jin Ki?
Começou assim: minha irmã (a criatura a quem devem culpar pelo meu vício pela Cultura Asiática) me indicou esse kdrama e eu fiquei meio “baaaargh!”, porque as outras indicações dela não foram lá “aqueeeeelas indicações” (nossos gêneros diferem MUITO) e, confesso de novo, já estava prestes a julgar a série pela opinião dela, porque gente, as outras indicações foram bem mais ou menos (A panda e o Ouriço, por exemplo) e eu fiquei com medo de me decepcionar com algo envolvendo o Onew. - Burra, eu sei. Jinki nunca falharia comigo e nunca  me decepcionaria! 😈


Mas, um belo dia, ela me marcou numa postagem onde mostrava que os atores (protagonistas) se casaram na vida real e a carinha do Song Joong-ki olhando a Song Hye-kyo, fazendo carinho na mão dela, parecendo nervoso, e principalmente SORRINDO, meu Deus... que delicinha de casal! Tudo bem que o casamento não tenha durado muito, mas o fato é que a expectativa sobre se o casal iria ter tal química na história, também, foi grande. E, confesso mais uma vez, foi aí que me convenci que eu já havia demorado demais para começar... - Me julguem! Porque, hoje, até eu me julgo. Tanto por ter deixado o meu Onew me esperando, quanto por não ter dado um crédito a mais para a minha irmã, na única acertada indicação que me deu. Haha (Desculpa, mana!)

"Se você quiser fugir, certifique-se de me levar com você. Seria muito melhor se fugirmos juntos."

Gênero: Militar / Médico / Romance
Episódios: 16
Exibição: 2016
  • Sinopse: Yoo Shi Jin (Joong-ki Song) é o capitão das forças especiais coreana. Ele conhece a médica Kang Mo Yeon (Hye-kyo Song) quando Yoo e seu colega de trabalho acabam machucando um bandido. O capitão e a doutora logo se apaixonam, mas manter essa relação e lidar com seus respectivos trabalhos não é uma tarefa fácil. O casal acaba terminando o namoro, mas, oito meses depois, o destino reúne os dois novamente.
Yoo Si-jin é um capitão do exército coreano das forças especiais – responsáveis por operações de espionagem e ações táticas de relações internacionais e diplomatas. Kang Mo-yeon é uma médica que tinha o sonho de ser professora no hospital, mas que por algumas questões internas não consegue seu objetivo.



Shi Jin acaba conhecendo a Dra. Mo Yeon e se apaixona de imediato por ela. Confesso que não gostei dela num primeiro momento porque ela me pareceu bem arrogante, mas conforme vão passando os episódios fui entendendo o seu comportamento e aceitando sua rispidez. O que importa, aqui, é que isso não foi motivo para o Si Jin desistir de tentar algo com ela, pelo contrário... ele via nisso um charme a mais para a doutora que, de cara, ele já chamou de linda. As cenas de paquera e conquista que se seguem são tão fofas que dá vontade de ter um relacionamento sério com o replay. Mas, devido o seu trabalho no exército, Si Jin é convocado em emergência algumas vezes, durante seus encontros com ela, o que faz com que o romance não emplaque de imediato e ambos se distanciam. Quando Shi Jin e Mo Yeon se reencontram, percebem como eles são diferentes: Ele, como um soldado, mata para proteger vidas. E ela, como médica, tenta salvar vidas, o que se torna um empecilho enorme entre o casal e a faz desistir de tentar. Oito meses mais tarde, Mo Yeon rejeita o presidente do hospital, Han Suk-won, que tentou assediá-la e, como resultado, é nomeada para liderar uma equipe médica em Urk (país imaginário em guerra civil). Ao chegar lá, adivinha quem ela reencontra? O seu, o meu, o nosso biscoito de polvilho Shi Jin, claro! E aí temos o desenvolvimento da história entre o romance, a amizade, a profissão, guerra e, principalmente, entre a vida e a morte.


"Eu não posso mudar o mundo, mas contanto que eu possa mudar a vida de uma pessoa, isso significaria o mundo para essa pessoa. "


Realmente fui conquistada pelos personagens, em especial o Shi Jin. Eu não tenho nem palavras para descrever esse homem! É sério. Ele não é só fofo, sua masculinidade e virilidade foram postas em prova e ele saiu vitorioso. Porque foi cada cena como soldado, homem apaixonado e cheio das pegadas que deixaria qualquer mulher de perna bamba. Isso sem falar das cenas de vários soldados muito bem encorpados sem camisa no treinamento matinal - informação essa que merece um outdoor com luzes fosforescentes cintilantes porque... né? Era demais para o meu coraçãozinho! - Voltando ao Shi Jin, preciso dizer que suas piadas, realmente, me faziam rir e, claro, nossa mocinha também se encantava por elas. Sinceramente, eu até compreendo os motivos que levavam a Mo Yeon rejeitar tanto o capitão, mas tinha hora que dava vontade de invadir a telinha e, consequentemente reescrever a história, e dar um soco na cara dela para ver se a acordava para enxergar o homão delícia que ela estava rejeitando...


Tudo bem que as cenas entre os dois eram motivos de suspirar, rir e ficar com o coração na mão (isso quando não saltava para fora) e me deixava com gostinho de reprise, mas o fato é que não tinha como não torcer... Sério, gente! A troca de olhares deles era impecável!!! E por falar em impecável, o que falar sobre as paisagens? Pensem num cenário cinematográfico digno! I-M-P-R-E-S-S-I-O-N-A-N-T-E!!! Desses que depois de vistos, você sai procurando local, passagem, porque quer ir para lá e tirar uma selfie. Isso sem falar das fotografias! Digo, a maneira como a câmera enquadra os personagens com um cenário de fundo diferente e uma jogada de luzes que são as melhores sacadas que vi, deixando a série bem parecida com filmes dignos de prêmio!

"Meu princípio é que crianças, mulheres lindas e idosos precisam ser protegidos."

Mas, a história não gira só em torno do casal principal e este foi o motivo pelo qual me apaixonei por Descendants of the Sun.


De fato, acompanhamos com bastante ênfase as diversas operações especiais em que o capitão e outros soldados eram convocados, bem como histórias paralelas em que Mo Yeon tinha de servir como médica, além de acompanhar o desenrolar de um outro casalzinho: a primeira-tenente Yoon Myung-joo e o seu amigo e sargento Seo Dae-young, que basicamente aparentava ser um amor platônico dela para ele, mas repleto de passado e reviravoltas no decorrer da história. Contamos ainda com a presença de mais um casalzinho, que eu shippei fortemente, mas que não teve tanta ênfase assim: Song Sang-hyun e Ha Ja-ae, os médicos que não só trabalhavam juntos com a Mo Yeon no hospital, como também foram para Urk e eram mais velhos. E, ainda, temos o Kim Ki-bum que se não fosse por ele, o Shi Jin e a Mo Yeon talvez nunca tivessem se conhecido.

  

De ladrão a anspeçada (posto militar inferior ao de cabo) Kim Ki Bum vai nos mostrando seu amadurecimento com o passar do tempo, inspirado pelo Dae Young, a quem muito admira e estima. Só que eu achei que deram pouca ênfase para ele... Sério mesmo, eu acho que o Kim Min Seok merecia mais. - Ele é um fofo! E em cada dorama que vejo, melhor a atuação dele fica. Como você pode conferir em “Shut Up Flower Boy Band”.

Agora, sabe aquele personagem que você não dá nada, mas de repente te surpreende e, a partir daí, você começa a acompanhar seu crescimento e... WOW! Então, é o Lee Shi Hoon, o personagem do Onew, do SHINee, aquele líder maravilhoso, surpreendente, que ganhou prêmio de atuação e que, em cena de massagem respiratória, preferiu pecar na atuação à correr o risco de machucar a pessoa que a receberia. O meu, digo, nosso, Tofuzinho mais delícia e que ama frangos, e alcança notas que até as mulheres acham difíceis de alcançar e de quem eu falo umas milhões de vezes, já que sou MVP, SHAWOL e uma eterna viciada nele... - Disfarça!

  

No início, poderia resumi-lo em apenas um médico residente que engravidou uma médica do mesmo hospital com quem decidiu se casar. Mas, depois de sua experiência em Urk, seu amadurecimento profissional e pessoal foi tanto que não deu para tirar os olhos dele! (cof, em termos, né... porque, afinal, é o ONEW e tirar os olhos dele, pelo menos para mim, que o tem como UTT Supremo, é absurda e imensuravelmente difícil! - Exceto pela ênfase que a história, no decorrer dos episódios acaba dando ao casal principal, claro). Mas, de fato, bem surpreendente (inclusive, sua atuação! - Que, para uma primeira vez, eu julguei excelente - e não é puxa-saquismo).



Sua participação na história se divide em momentos de drama, fazendo cenas espetaculares e comédias, o que faz com que o dorama se torne mais leve.
Lee Shi Hoon é um jovem cavalheiro de uma família nobre, que cresceu em um ambiente protegido e que sonha em ser como o médico e pensador Albert Schweitzer (filósofo, teólogo e organista, autor da frase "todas as opiniões são respeitáveis quando são sinceras, e por conta disso, Deus seguramente o perdoará"). Tal médico e filósofo, dirigiu sua atenção para os africanos das colônias francesas que, numa total orfandade de cuidados e assistência médica, debatiam-se na dura vida da selva. Por este motivo, quando Lee Shi Hoon é enviado a Urk, uma área de desastres, como membro do time de ajuda humanitária do Haesung Hospital, demonstra total felicidade.
Tudo bem que em mais da metade das cenas em que aparece, o vemos sendo repreendido, e provocado pelos seus seniores, mas de maneira humilde e  por conta de sua personalidade sensível, sempre acata tudo, sem reclamações. Esta foi sua estreia como ator em rede nacional, com um papel de coadjuvante, mas também tem em sua carreira, participações em outros dramas e aparições em sitcoms, que nada mais são do que séries de televisão com personagens comuns onde existem uma ou mais histórias de humor encenadas em ambientes comuns como família, grupo de amigos, local de trabalho, etc.
Não lembro bem onde li que a equipe de produção havia elogiado a interpretação "com naturalidade" do Onew, de modo que mal podemos perceber que era sua primeira atuação "formal". Isso tudo, sem falar da trilha sonora, "You are my everything", na voz dele... - pausa dramática e merecida - que coisa linda!




Eu poderia até dizer que foi aqui que me apaixonei pelo Onew, mas eu estaria mentindo. Na verdade, foi aqui que eu me apaixonei DE NOVO pelo Onew, em mais uma de suas facetas. Porque este homem, gente, para mim, é um homem completo. E cada vez que eu o conheço, descubro um motivo a mais para amá-lo incondicionalmente!

"Eu não tenho habilidades para explicar as coisas do coração. "

Algumas críticas sobre Descendants of the Sun dizem respeito com a falta de aprofundamento de algumas histórias das operações especiais, mas sinceramente, acho irrelevante esse tipo de crítica porque todas tinham começo, meio e fim, mesmo que algumas parecessem “rápidas” (no sentido de os desfechos terem sido diretos demais).


E sinceramente não achei que isso fosse um problema, porque uma coisa é ser um drama com foco em uma única problemática que se estende em todo ele e possui variantes, outra é um drama que tenta mostrar para quem assiste o tipo de trabalho que o capitão tem para poder fazer da protagonista não aquela mulher cricri, mas alguém, de fato, preocupada com o tipo do trabalho que ele tem. Por este motivo, achei a história nesse quesito bem realista. Outros personagens mereceriam destaque nesta resenha, mas vou deixar que assistam e tirem suas próprias conclusões. Só tenho a dizer que cada um recebeu um espacinho no meu coração de dorameira, aconchegante!

  

Para concluir, eu poderia ficar aqui por horas falando o quanto os protagonistas e co-protagonistas são fofos, o quanto eu me emocionei, vibrei e gargalhei com algumas cenas e dos vários motivos pelos quais recomendo Descendants of the Sun, mas se eu me prolongar mais, vou acabar soltando spoilers, e juro que essa não é minha intenção. Então apenas vou reforçar que para quem quiser fugir um pouco de filmes com ênfase em romances populares, visto que a história problematiza questões e preocupações reais entre os casais, também, e para todos aqueles que querem se deliciar com os cenários (e com os treinamentos matinais), as músicas, etc... Descendants of the Sun foi feito para você! ^^


E o Onew para mim! Portanto, tirem os olhos! ^^ Porque sou dessas que sabe enterrar um cadáver. hahaha

______________________• ONDE ASSISTIR? •_______________________
• Viki • Kingdom Fansubs • Subarashiis • Urameshi Downs 2 • Meteor Dramas •

~Rackys

Do Atari ao PS4, superando o vício em Guitar Hero II e migrando para "drogas" mais fortes: os Doramas. Eles me transformaram numa maratonista devoradora e resenhista de dramas asiáticos, pelos sites Eu Insisto, Uma Dose de Dorama, Kai nos Doramas e Teoria Geek, e agora, com site próprio EU♥DORAMAS! Por influência deles, me viciei em SHINee (kpop) e descobri que não tem cura. Mais recentemente, fui convertida ao SuperM e EXO, também. (Amém!) Além destes projetos, fui otaku de Naruto, fã de Nicholas Sparks, amante de séries teens, musicais, de dança, ginástica artística e dança no gelo. Atualmente nooba em PvP e admin do grupo EU♥DORAMAS no Face e ajudante no fórum da Fansub de mesmo nome. Me aventurei na vida de subber para uma Fanbase de Legenda: a SuperMsubBR. Mas, meu coração continua shawol pra todo o sempre e MVP de carteirinha, embora Flaming tracker me afronte. E, por fim, juro que, embora pareça que não, tenho vida social! Tanto que sou professora de educação infantil no "tempo livre". Prazer! Sou Rackys.

28 comentários via Blogger
comentários via Facebook

28 comentários:

  1. Nunca assisti dorama, mas eu fiquei tão apaixonadinha por sua resenha, ela me deixou super curiosa para conhecer mais sobre esse casal e toda a história ao redor deles.
    vou deixar anotado aqui como: desejos de 2018 ahahhaha
    Bjs

    https://blog-myselfhere.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bárbara, já te aviso que quando você adentra no mundo dorama, você não vai querer mais sair.. ainda mais quando já começa com um muito bom! Hahaha O meu primeiro foi Boys Over Flowers, e dele para o atual já consta uma lista de 50 dramas asiáticos. Hahaha
      Fico no aguardo para saber se gostou!!

      Excluir
  2. Olá, tudo bem?
    Esse casal parece ser muito fofo e saber que eles se casaram na vida real deixa meu coração apertadinho. Já anotei nas séries que quero assistir nas férias. Beijos <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que a resenha tenha te dado vontade de assistir esse Kdrama! Realmente, vale a pena! Maratonei em no máximo 4 dias, porque meu vício é um caso a ser estudado, mas… Hahaha
      Ah, por incrível que pareça, o casal é fofo dentro e fora da telinha, mas confesso que fora dela meu coração saiu pela boca porque ele apaixonadinho é a coisa mais lindinha que eu já vi… Um biscoito de polvilho MESMO! Hahaha
      Quando assistir, não deixe de me dar um feedback, me deixou curiosa!

      fico no aguardo pra saber o seu feedback…

      Excluir
  3. Sara Kerolen Souza Oliveira18 de janeiro de 2019 21:00

    oii tudo bem ?
    esse drama ta na minha lista faz tempo mais nunca pego pra ver, estou bem curiosa quem sabe eu pego esse ano pra ver ��

    bjss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sara, tenho certeza de que não vai se arrepender… Maratonei fácil o Descendants of the Sun! É começar e não querer parar..
      Depois, se puder, volte aqui para me dar um feedback?! Fico no aguardo!

      Excluir
  4. faz mto tempo que não bate a vibe pra ver um dorama… via mais os japoneses que coreanos… bacana vc ter se surpreendido de maneira positiva com essa indicação da tua irmã. legal que vc resolveu dar uma chance pra história e acabou se apaixonando,ne? hehehe
    bjs ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, uma belíssima exceção porque nossos gostos são bem diferentes! Hahaha mas, rola aí um certo exagerinho meu, romance geralmente ela acerta… Mas, Descendants of the Sun é realmente maravilhoso! Espero que assista e volte aqui para me dar o seu feedback.

      Excluir
  5. Euzinha não sou adepta desse universo coreano (incluindo as bandas/doramas), mas uma das minhas amigas gosta bastante, então vou passar sua indicação pra ela. Que fofinho os atores terem casado na vida real hehe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa! Indica sim… Ela vai curtir! E, sim, Ana… Além de fofinho ela terem se casado, você nota na série o quanto de química eles têm… Gritinhos frenéticos de fofura!!

      Excluir
  6. Respostas
    1. Não vai se arrepender! Depois, se puder, volte aqui para me dar um feedback!! 🙂

      Excluir
  7. Olá!
    Nunca assisti nenhum dorama com essa temática de guerra, muito menos com esses atores. Você falou tão bem deles que deu vontade de conhecer. Muito bom quando a gente se encanta por algo a ponto de querer espalhar para o mundo a grande descoberta. ��
    Anotado a dica.
    Nizete
    Cia do leitor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nizete, te digo: Foi o meu primeiro nesta temática e eu curti bastante. Me parece que esse Kdrama foi feito como propaganda do exército coreano, porque tem umas cenas de patriotismo e respeito à bandeira formidáveis, dessas que te deixa com inveja por morar no Brasil.. rs
      De todo modo, os atores são fofos demais, os protagonistas mais ainda… e, vivo em relacionamento sério com o replay nas cenas dos beijos. Hahahaha
      Espero que goste!

      Excluir
  8. Assisti DOTS em 2 dias e devo dizer que AMEI!!No começo sim,eu tinha uma vontade louca de dar uma voadora na prota com os dois pés pois achava ela muito enjoada,mas com o passar do drama fui me rendendo à ela!!E o Big Boss então…moço bonito,moço formoso!!Os demais personagens também foram um deleite para os olhos e os três últimos capítulos me deixaram com o coração na mão!!Amei sua resenha,bem detalhada e rica (me deu uma vontadinha de assistir de novo)Ansiosa por mais resenhas suas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que assisti em dois ou três DOTS… Acho que no começo a prota é bem fresquinha, metida a besta.. mas depois dá para entender porquê ela é áspera com algumas pessoas e aí a gente acaba relevando. Big Boss: moço bonito, moço formoso.. bem como o Seo Dae-young, que francamente, foi me conquistando aos pouquinhos…
      OBRIGADA pelas palavras, são animadoras! Vou tentar fazer mais resenhas e aviso quando publicá-las. =D

      Excluir
  9. Adorei a resenha já está na minha lista, vou assistir

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Puxa, fico feliz que tenha despertado seu interesse em assistir! 🙂 Vai amar!! Fico esperando seu feedback…

      Excluir
  10. Muito boa a sua resenha, me identifiquei

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cleide, muito obrigada!! ^^
      Fica a pergunta: Se identificou com o Onew, também?? haha

      Excluir
  11. aaah ficou muito bom, sou outra que surtou que o casal song sonho era real szzz

    Responder

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Impossível não surtar com eles! Parece terem sido feitos um para o outro, mesmo. A química entre os dois, dentro e fora da telinha é inegável!!! AMEI MUUUUUITO!!!

      Excluir
  12. Ficou ótima a resenha e também comecei a ver pelo mesmo motivo que o seu!! Só fiquei um pouco triste com final KKK

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Triste com o final? Ah, sim… Muita água rola ali, e acaba não sendo como esperamos, mas acredito que para um cenário de guerra, como a temática do Dorama, é bem realista! Eu curti tudo!!! 🙂

      Excluir
  13. Amei!!!! E literalmente quero rever depois dessa resenha!! Gente DOTS é um dorama que me emocionou demais. Como vc disse ele sai do tradicional entre casais dos demais doramas..Todos os casais desse dorama tem histórias que te pegam e amarram e abracam e qdo vc vê esta completamente apaixonada por todos!! Sem contar os soldados desfilando sem camisa neh? Uiii dei até um suspiro. O Big Boss é um sonho, quem não queria tudo de bom em um homem só? Então comecem a afogar santo Antonio vai que cola neh? A ost são chiclete...vc começa e não para mais. Qdo percebe já tá cantando tudo... a gente meio que se enrola mas no final sai haha...Todo o enredo, a fotografia, a atuação nos prende e nos faz borbulhar coraçõeszinhos e vomitar arco íris gente!! Muita coisa boa em 1 só dorama! E sua resenha Rackys (SENHORITA), deixa isso bem claro!! Sempre detalhista e com sua pitada especial!! Uma dica imperdível com suaves e detalhes ímpares. Fez meu core querer rever alguns melhores momentos!!��. E claro vamos ver o seu, o nosso Onew haha... Continue nos presenteando com suas resenhas imperdíveis!! Qdo eu crescer gostaria mto de escrever 1/3 do que vc escreve haha.. bjo no core! E até a próxima!!

    ResponderExcluir
  14. Aaaah, me fez relembrar a euforia que senti assistindo esse kdrama ❤❤!! Eu ficava torcendo muuuuito pra saber o que viria depois! Torcendo pelo desenrolar dos casais secundários, terciários e etc. rsrs. Quanto ao Onew, realmente fez um excelente trabalho, nas cenas dramáticas, nosssa, meu coração doía junto! Ele fez um ótimo trabalho!!
    Concordo com você quando diz que não havia necessidade de um aprofundamento nas histórias das missões, a história mesmo, o que realmente interessava, foi bem contada e trouxe toda carga dramática e cômica que eram necessárias. A meu ver, se aprofundar nestas histórias seria como uma "encheção de linguíça" rsrs. Enfim, sua resenha trouxe a essência do drama e com crtza vai trazer mais fãs pro mesmo 👏👏👏

    ResponderExcluir
  15. Você descreveu exatamente o que eu senti vendo esse dorama!!!! Ja quero ver de novo. Quel vc arrasa nas resenhas,escreve de maneira simples e cativante. A gente quer ler e ler sem pressa de acabar. Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  16. Aquele momento que vc fica louca pra iniciar a maratona de um Dorama ...
    Parabéns Raquel...
    A resenha mais perfeita q já vi👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻

    ResponderExcluir

Deixem-nos saber o que achou do post! Comente aqui.

Todo site, quando desenvolvido com carinho, sem qualquer pretensão de lucro, espera algo em troca.
A única coisa que espero dos meus visitantes, além de gostarem do conteúdo, é comentarem nas postagens.
São estas pequenas coisas que não me deixam desanimar: saber que tem gente que acompanha, independente de concordar ou discordar de mim.
Então, se não for pedir muito, por favor, deixem umas blogueiras felizes! ^^

Paginação numerada



Subir