Aviso!

ATUALIZAÇÃO em: 03/03/21

Vamos passar por uma reformulada no Layout em breve e aí, todas as postagens que estão com probleminhas de chá de sumiço de imagens e partes do texto, vão finalmente ressurgir das cinzas como uma fênix. Também estamos vendo nossas artes, principalmente as logos usadas por nós, em produtos comerciáveis e gostaria de pedir que não roubem as imagens do site, pois todas foram compradas para serem únicas e exclusivas. O logo, a edição das capas, tudo. Se virmos espalhadas por aí, vamos processar, porque temos direito de imagem sobre elas, agora, tá? Beijos de luz!

sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

KDRAMA | Playfull Kiss

A resenha de hoje é polêmica (mas eu sou brasileira e não desisto nunca) porque Playfull Kiss faz parte daquele seleto número de doramas que uma parcela da população dorameira tende a odiar, ou por preferir outras versões de adaptações, ou por achar esta "machista demais", - particularmente, acho um certo exagero esta última definição, mas vou tentar explicar o meu ponto de vista acerca dos personagens e deixo para vocês tirarem suas conclusões - ou, ainda, por não ter visto o especial de Playfull Kiss onde o Seung Jo está verdadeiramente fofo, bem diferente dele no início do dorama. Mas, vamos com calma, já chego lá! - Bora para a sinopse!



Gênero: Romance/Drama
Episódios: 16
Exibição: 2010

  • Sinopse: Oh Ha Ni (Jung So Min) é apaixonada há 3 anos por Seung Jo (Kim Hyun Joong) desde o momento em que coloca os olhos nele no primeiro dia de aula. Ele é um pacote completo de garoto prodígio - popular, alto, atlético, bonito e todos os estudantes o invejam por obter a nota perfeita em todas as provas. Ela é o oposto. Filha de um herdeiro de um restaurante de família, Oh Hani não herdou o dom de cozinhar. É péssima em quase tudo o que faz, inclusive na escola, exceto em amar. Seu amor por Seung Jo é incondicional e até doentio, vide seu esforço energético para conseguir sua atenção, mas ele a considera apenas um incômodo e nada além disso. O destino, então, os coloca debaixo do mesmo teto quando um terremoto de baixa magnitude destrói apenas a casa da família de Oh Ha Ni. Ela e seu pai passam a viver temporariamente na casa do amigo de infância do pai dela, que por sinal é o pai de Seung Jo.

É aqui que começam as críticas ao Seung Jo. Logo de cara, descobrimos da pior maneira possível que o amor de Oh Ha Ni é unilateral: ela decide se declarar para ele escrevendo-lhe uma carta e entregando-a em mãos - corajosa, no mínimo. - Ao recebê-la, ele corrige todos os erros gramaticais contidos em sua escrita, aplica a nota D- e a humilha na frente de todos da escola dizendo "não gostar de garotas sem cérebro ou que não têm vergonha disso"(sic). - Sei que agora você deve estar se perguntando "Como que essa louca acha que isso não é machismo?", calma, eu explico: é sem dúvida o ápice de arrogância dele, mas não é uma atitude exclusiva masculina, há de convir! - Seu desvio de caráter é evidente, mas é por conta disso que Oh Ha Ni cresce como pessoa. - Okay, pode não parecer justificativa, mas segue o raciocínio...

"Eu não sabia que não saber seria tão assustador!"


Seung Jo pode ser o cara mais ignorante que você vai conhecer mas, aos poucos, como todo clichê shoujo, ele muda. E, mesmo sendo assim, ele a ajuda quando ela mais precisa nas mais variadas situações, seja a ajudando a estudar, seja salvando-a de um maníaco, seja pegando-a no ponto do ônibus por conta da chuva... então, vamos com calma! Sem falar que, claro, no fundo, no fundo mesmo, ele gosta de provocar ela... Para provar que ele estava enganado sobre ela, ela aposta alto com Seung Jo que se ficasse entre os melhores da escola, ele a carregaria de cavalinho nas costas. - Sonho nosso de cada dia, oppas!E é aqui que a gente consegue moldar a personalidade de Oh Ha Ni:

"Não sou boa em nada. Até eu fiquei surpresa por poder fazer essa entrevista. Fiquei muito grata por isso!"


Sua força de vontade, sua garra e perseverança é o que a move e a amadurece. - De início, eu a achava meio louca, confesso. Sem personalidade, sem amor próprio, sem graça, sem maiores perspectivas de vida e extramente submissa (em nome desse amor todo). - Mas, aí ela se torna - desculpe a ironia - apenas uma menina imensamente insegura e pegajosa, mas absurdamente persistente e sem deixar de ser tudo aquilo acima em diversas situações. - Ela, simplesmente, exagera na dose, sério. - Por outro lado, toda vez que ela se metia a querer algo, principalmente para provar o seu valor, ela não desistia fácil. Ela realmente tentava! - O que era realmente admirável! - Oh Ha Ni vai crescendo e amadurecendo aos poucos, e acompanhar esse processo é o que eu mais gosto!

"Posso ser mais lenta que os outros, mas nunca desisto. Vou até o fim. O meu é apelido é 'lesma de Noé'.


Oh Ha Ni tem duas melhores amigas a quem conta todos os seus segredos e com quem pode contar sempre. Ao meu ver, duas guerreiras, porque como a vida de Oh Ha Ni gira em torno de Seung Jo, haja culhão para ser amiga dela e aguentar o único assunto que ela sabia ter: Seung Jo, Seung Jo, Seung Jo. As duas são, praticamente, as conselheiras amorosas de Oh Ha Ni, e têm um papel fundamental para o meu relacionamento sério com o replay nos episódios 13 e 14, de looping eterno, ao infinito e além... Mas, sinceramente, tem hora que, às vezes, eu não as entendia!

"Como o Joon-Gu disse, eu ainda sou um garoto de 19 anos. Sou curioso e tudo o mais. Não é isso que queria? Estamos a sós!"


Paralelamente a isso e muito curiosamente, por algum motivo que eu ainda não entendo, Bong Joon‑gu, era apaixonado por Oh Ha Ni. O sonho dele era simples: Ser cozinheiro e se casar com Oh Ha Ni. Conforme vai passando o tempo, ele felizmente vai amadurecendo e tirando esse "pega-rapaz" horrível da testa e se tornando um homem respeitoso - ou quase. -
É que no fundo, sempre o vi como uma versão masculina de Oh Ha Ni... mas, com um pouquinho mais de amor-próprio - ou não.  - Felizmente, graças a ele, a Oh Ha Ni pôde se sentir viva em alguns momentos. O que as amigas não faziam por sua auto-estima, ele sozinho dava conta do recado. Confesso que ser o pivô dos primeiros ciuminhos do Seung Jo, fez a essência também 'carrapato' do Bong Joon-Gu valer a pena!

"Bem, acho que você sempre foi bom em tudo, nunca percebeu o quanto as pessoas se esforçam para conseguirem o que querem!"



E, por fim, temos a Hera. - Ao meu ver, simplesmente, a intragável de bunda chata! - A típica "bonitinha, mas ordinária". A versão Seung Jo de saia, alta, bonita, popular, notas altas, arrogante, nariz no topo das nuvens e mulherzinha podre que não sabe o seu lugar ao sol, digo, o momento de ser mais inconveniente. Sim, porque não basta todo o obstáculo que a Oh Ha Ni enfrenta para conseguir a atenção do cara que ela ama, ainda tem que disputá-la com uma mulher a quem Seung Jo acha perfeita. Ou seja, o que já era difícil para a Oh Ha Ni administrar (sua auto-estima, por exemplo), apenas chegou no nível hard com o aparecimento da Hera, colega de faculdade de Seung Jo, e com isso a sua luta diária e chiclet é intensificada, também. - Nessas horas, eu até entendo sua insegurança, mas só por Deus, vontade de chacoalhar a Oh Ha Ni não me faltava quando ela multiplicou o grude...

"É um teste difícil estar com você, mas não é tão ruim!"




Agora, vamos ao romance! Que fique registrado aqui, que se não fosse pela mãe de Seung Jo, a Oh Hani seria apenas uma carta fora de baralho, possivelmente perdida em algum buraco de boeiro, depois de tanto pisoteada... porque, oh, papel fundamental desta Ajumma! "Você acha que Seung Jo é um gênio? Não, ele é um idiota porque ele não tem ideia dos sentimentos dele. É por isso que ele é tão cruel com quem ele gosta! Ele tenta machucá-la. [...] Ele tem medo de não conseguir controlar a mente humana porque não tem uma resposta curta como um problema de matemática. Ele tem medo de mostrar seus sentimentos!"

"É divertido vê-la melhorar! [...] Ela é interessante! Me faz pensar que se você tentar, você consegue!"



Bendita a santa hora que Seung Jo disse isso para a Oh Ha Ni! Pena que a insegurança dela não a fez enxergar que esta era uma clara demonstração de carinho e aceitação. A bem da verdade é que Seung Jo começou a enxergar a vida de uma forma diferente, desde que Oh Ha Ni citou sua avó: "Viva com diversão e faça os outros felizes! É assim que se deve viver!" - Okay, mas agora pensa em alguém que levou isso ao pé da letra e começou a chutar o balde com tudo... - Seung Jo, vivia em sua zona de conforto desde que se conhecia por gente, quem o tirou de lá foi, justamente, a Oh Ha Ni com esse seu jeitinho de ser. Ela não só se torna um desafio para ele, como vira uma figura admirável pela forma como ela se dedicava ao que queria. 



Oh Ha Ni não tinha personalidade própria, é verdade, seu mundo girava ao redor de Seung Jo, mas é por conta da intervenção dele que ela descobre seu real objetivo de vida. O apoio que ele dá a ela, é absurdamente fundamental nesse processo. - E é por isso que ele ganhou o meu coração! - A princípio era meio curto e grosso, sim, mas não percebia que fazia isso só com a Oh Ha Ni. Quando percebe, se dá conta que gostava de provocá-la, mas no fundo, a provocava pois sabia que nada do que dissesse, faria ela desistir dele, afinal sua perseverança e seu amor, eram maiores que tudo.

"Você, oportunamente, tem que procurar alguém quando não há mais ninguém em casa?"


Bem, quase tudo, porque no fundo, ele sabia que poderia perdê-la se fosse um completo idiota. Bem lááá no fundinho, além de existir um medinho de perdê-la, também sempre tinha um porquê ao cutucá-la: Ele queria que ela crescesse como pessoa. Que dependesse dele, sim, mas que isso fosse divertido e que ela aprendesse alguma lição importante, também. Pois bem, esse foi o Seung Jo. De tanto querer se divertir, já que ele próprio se reconhecia como não sendo o tipo de pessoa que faz os outros felizes, então, ele se desafia. Acho que, ao sair de sua zona de conforto, ele passa a enxergar a própria vida sob a ótica de Oh Ha Ni, uma vez que nada para ela foi fácil. Aí soma-se a persistência quase ininterrupta de Oh Ha Ni com as provocações nossas de cada dia do Seng Jo e está feita história! 


- O que é um coringa-trunfo para o dorama, porque as suas provocações são um show à parte! E, cá entre nós? Sabe o que me lembra isso? Que todo garoto (criança ou pré-adolescente) quando gosta de uma menina, a provoca feito bobo. Talvez, ele não fosse tão maduro quanto achava que era, não em questões de sentimentos.


- Enfim, ele passa a entender a Oh Hani melhor, e a respeitá-la como pessoa.  Por ser bom em tudo o que fazia, ele precisava se desafiar, se aventurar. E por não com alguém cuja quem considerava "um problema sem resolução"? "Eu nunca fiz nada desafiador na minha vida inteira. Desde que você entrou na minha vida, eu senti como se fosse um mundo inteiramente novo que segue de forma inesperada, como tentar resolver um problema de matemática sem resposta. 


Talvez, este tenha sido dado a mim como meu destino inevitável para o qual devo achar uma resposta. No começo, eu não sabia como encarar, eu estava perdido e tentando evitar, mas... não mais. Eu não vou mais fugir. Se o teste não está errado, deve haver uma resposta para ele. Então, eu decidi encará-lo." - Okay, a bem da verdade é que eu morro de amores porque eu sou uma romântica incurável... mas seria possível não ser? Olhem esse sorriso do Kim Hyun Joong, gente!!! Quero.

CURIOSIDADES


Playfull Kiss é baseado no mangá Itazura na Kiss, escrito por Kaoru Tada. O mangá não foi finalizado devido a morte inesperada da autora, mas ele possui 23 volumes (1991 à 1999), e como consequência do seu sucesso, conta com uma série de televisão baseada no mangá, também intitulada Itazura na Kiss (1996). Mais tarde, uma adaptação em anime de 25 episódios foi produzida e transmitida no Japão em 2008. Desde então, a obra recebeu diversas adaptações para televisão, entre elas It Started With a Kiss (Twdrama, 2005), They Kiss Again (continuação Twdrama, 2008), Playful Kiss (Kdrama, 2010) com o Kim Hyun Joong, Mischievous Kiss: Love in Tokyo (Jdrama, 2013) e Mischievous Kiss 2: Love in Tokyo (Jdrama, 2014) com o Yuki Furukawa, Kiss me (Thaidrama, 2015), com o maravilhoso Mike D'Angelo e Miss in Kiss (Twdrama, 2016). Ainda temos as versões live action japonesas: Itazura na Kiss: The movie - High School (2016), Itazura na Kiss: The movie - Campus (2017) e Itazura na Kiss: The movie - Proposta (2017). - Sim, pois é, só tudo isso! E, bem, assim como fiz com Boys Over Flowers, farei com Playfull Kiss. 


______________________• ONDE ASSISTIR? •_______________________
• Viki •



 E você que já assistiu Playfull Kiss, que tal assistir o especial (continuação da história)? Disponível apenas no Youtube, mas você pode assisti-lo aqui:

EPISÓDIO 1 - ESPECIAL 

EPISÓDIO 2 - ESPECIAL

EPISÓDIO 3 - ESPECIAL

EPISÓDIO 4 - ESPECIAL

EPISÓDIO 5 - ESPECIAL

EPISÓDIO 6 - ESPECIAL 

EPISÓDIO 7 FINAL - ESPECIAL 

BASTIDORES

E aí? Gostou? Diz pra mim aí nos comentários!


~Rackys

Do Atari ao PS4, superando o vício em Guitar Hero II e migrando para "drogas" mais fortes: os Doramas. Eles me transformaram numa maratonista devoradora e resenhista de dramas asiáticos, pelos sites Eu Insisto, Uma Dose de Dorama, Kai nos Doramas e Teoria Geek, e agora, com site próprio EU♥DORAMAS! Por influência deles, me viciei em SHINee (kpop) e descobri que não tem cura. Mais recentemente, fui convertida ao SuperM e EXO, também. (Amém!) Além destes projetos, fui otaku de Naruto, fã de Nicholas Sparks, amante de séries teens, musicais, de dança, ginástica artística e dança no gelo. Atualmente nooba em PvP e admin do grupo EU♥DORAMAS no Face e ajudante no fórum da Fansub de mesmo nome. Me aventurei na vida de subber para uma Fanbase de Legenda: a SuperMsubBR. Mas, meu coração continua shawol pra todo o sempre e MVP de carteirinha, embora Flaming tracker me afronte. E, por fim, juro que, embora pareça que não, tenho vida social! Tanto que sou professora de educação infantil no "tempo livre". Prazer! Sou Rackys.

9 comentários via Blogger
comentários via Facebook

9 comentários:

  1. Mais uma excelente resenha
    Correndo para terminar de assistir Playfull Kiss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico tão feliz quando você gosta das minhas resenhas! O dia que não gostar de uma, vou ter que refazê-la por inteiro. Não vou me perdoar. hahaha

      Excluir
  2. A melhor resenha desse Doramão que já li. Tanto que me resolvi comentar(coisa que nunca faço!)
    Você pegou a essência do drama. Essa é minha versão preferida!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, tudo bem?
      Então, amei essa versão, também.. eu gosto de estudar o personagem para não correr o risco de fazer hater desnecessário, até porque não gosto, Delma.. Fico feliz que tenha gostado, de verdade! ^^ Muito importante, para mim.. Estive assistindo Kiss Me, a versão tailandesa, e olha, não deixa a desejar, também, sabe? Foge um pouco do mangá, mas é um amorzinhooooooo, sem falar que é com o Mike D’Ângelo, que eu amooooo muitoooo! hahahaha Sugiro que assista, também, tem na Dopeka! ^^ Beijos e até a próxima!

      Excluir
  3. Eu amei a resenha, e me sinto da mesma forma em relação aos personagens, acredito que tudo que é novo e desconhecido da medo no começo ,acredito nisso em relação ao Seung Jo por isso suas ações.... E mais uma vez super bem escrito a resenha ������ pegou cada detalhe dos personagens bem certeiros haha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele sempre teve tudo muito fácil, então, aprendeu a valorizar quem precisa correr atrás para conseguir alguma coisa. Acho que esse ensinamento é de uma grande humildade por parte dele. Lamentável aquele que não consegue entender isso nesse dorama que é mais que perfeito! ^^
      Obrigada pelas palavras sobre a resenha! Como sempre, uma linda! ^^

      Excluir
  4. Resenha maravilhosa! (Sempre!)
    Como já assisti a versão Japonesa não queria ver pois achava que era tudo igual mas depois de ler sua resenha fiquei com muita vontade!!! Eu adoro esse tipo de Dorama, me derreto toda assistindo!!! Rsrs...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O dorama acabou ficando polêmico por conta do ator, então, criam hate até por ele respirar o ar da Coreia. Mas, me foquei na história do drama, no personagem, na personalidade e história de vida dele. Fica mais leve, assim.. então, que bom ter gostado, Renatinha!! ^^

      Quero super saber sua opinião a respeito quando terminar de assistir. Me deixe saber, ok?

      Excluir
  5. Gostei mais desta versão do que da japonesa. Adorei a resenha, me fez relembrar algumas cenas de 😊

    ResponderExcluir

Deixem-nos saber o que achou do post! Comente aqui.

Todo site, quando desenvolvido com carinho, sem qualquer pretensão de lucro, espera algo em troca.
A única coisa que espero dos meus visitantes, além de gostarem do conteúdo, é comentarem nas postagens.
São estas pequenas coisas que não me deixam desanimar: saber que tem gente que acompanha, independente de concordar ou discordar de mim.
Então, se não for pedir muito, por favor, deixem umas blogueiras felizes! ^^

Paginação numerada



Subir